Saiba a importância de diferenciar marketplace e e-commerce

Saiba a Importância de Diferenciar Marketplace e E-Commerce

Quando o assunto é marketplace e e-commerce, podemos dizer que o Brasil tem verificado um crescimento exponencial e bastante promissor. 

Inclusive superando aquele medo de comprar pela internet, que ainda existia até alguns anos atrás.

Quem aponta esse crescimento são as próprias pesquisas, como uma recente da Ebit/Nielsen, que verificou um aumento de mais de 40% nas compras e vendas digitais. Algo em torno de R$27 bilhões no período de um ano.

Certamente, isso gera interesse em diversas empresas, seja uma indústria química multinacional ou uma papelaria de bairro que vende carimbo grande personalizado. Todas elas com certeza vão querer a sua fatia desse bolo.

Mas, isso implica compreender alguns pontos estratégicos, a começar pelas várias possibilidades de venda online existentes ou a diferença entre marketplace e e-commerce, tal como vamos tratar detalhadamente aqui.

Inclusive, em vez de simplesmente dar dicas práticas, como é tão habitual na internet, traremos também exemplos concretos, conceituações e características que ajudam a ilustrar o que está sendo dito, de modo diferenciado.

O que é e-commerce?

Como o nome já sugere, trata-se do comércio eletrônico, de modo bem mais genérico e abrangente do que os marketplaces, que são plataformas específicas e nichadas, como veremos abaixo.

Nesse sentido, é preciso falar do e-commerce mais como um fenômeno comercial contemporâneo do que um modelo de negócios.

Por um lado, basta considerar que não faz sentido falar sobre o “dono do comércio eletrônico”, pois se trata de algo que, até certo ponto, é sinônimo da própria internet. 

Por outro lado, o termo se tornou sinônimo de loja virtual, onde é possível achar de tudo como:

  • Eletrônicos;
  • Roupas;
  • Acessórios;
  • Cosméticos.

Assim, faz sentido falar do dono da loja virtual de uma empresa de corte a laser em chapa de aço ou mesmo do dono de uma plataforma de soluções industriais (um marketplace) em que várias marcas anunciam esse tipo de serviço.

Ou seja, no e-commerce como sinônimo de lojas virtuais, o que temos é um domínio próprio de uma marca só, que atinge diretamente seus clientes. Ao passo que o marketplace é multimarcas e conta com um intermediador.

Adiante vamos aprofundar essas diferenças de modo mais detido e mais didático. O que precisa ficar claro aqui é a melhor definição possível de e-commerce.

Assim, o comércio eletrônico pode remeter à digitalização da dimensão de compra e venda do ser humano, como uma evolução que veio na esteira de outras indispensáveis, como a internet e a banda larga ou pode remeter às lojas virtuais, como usamos aqui.

O que é marketplace?

Depois de explicar os conceitos e características principais do e-commerce, fica muito mais fácil falar do próprio marketplace.

Dito de outro modo, existe o gênero das vendas online, que ocorrem pela internet, e dentro dessa realidade existem vários modelos de negócio, como o das plataformas digitais, das lojas virtuais e dos marketplaces.

Assim, quando uma empresa de armário de medicamentos decide adotar uma estratégia para aparecer para mais gente e vender mais, ela pode procurar um marketplace voltado para área de farmácia e anunciar ali os seus produtos.

Basicamente, os marketplaces são como galerias ou shoppings centers digitais, daí dizer que eles sejam multimarcas. 

Tal como em um shopping, ali haverá várias lojas ou marcas apresentando a mesma solução, seja um produto ou serviço.

Alguns veem essa definição e perguntam: então o marketplace é um aplicativo? Na verdade, não necessariamente, pois ele pode ser acessado tanto por um aplicativo quanto por um site comum de navegação. 

Ele é, no fundo, uma plataforma multimarcas de compra e venda, essa é sua melhor definição, lembrando sempre que há um intermediador na negociação entre a marca e o cliente final.

Principais diferenças entre e-commerce e marketplace

Acima prometemos aprofundar essas diferenças de modo mais didático e mais detido, pois isso também ajuda a compreender a importância do assunto.

Principais diferenças entre E-commerce e marketplace:

1. Visibilidade;
2. Investimento;
3. Lucro;
4. Segurança.

Visibilidade

Podemos dizer sem medo de errar que o marketplace tem uma visibilidade muito maior, haja vista que as plataformas desse segmento investem em marketing digital justamente para canalizar um tráfego maior para seus portais.

Já no caso do e-commerce ou da loja virtual, uma empresa que faz estudo hidrogeológico vai precisar investir em marketing, começando do zero a erguer sua fama.

Investimento

Em termos de investimento, a loja virtual também exige que a marca tenha um caixa de antemão, pois ela precisará arcar com toda infraestrutura, desde desenvolvimento da página até os servidores e taxas mensais ou anuais.

Já o marketplace pode permitir que você anuncie gratuitamente, pagando apenas uma comissão após a venda ou ainda, você paga para entrar na plataforma e depois começa a fazer seus anúncios.

Lucro

Diante do que falamos acima, podemos dizer que as margens de lucro podem variar bastante entre um e outro formato de venda online.

No caso da loja virtual a empresa pode demorar um bom tempo para reaver seu capital inicial, já no marketplace ela pode começar a lucrar já nas primeiras vendas.

Segurança

A questão da segurança vai na mesma linha das anteriores: na loja virtual você precisa garantir certificações como a de SSL (Secure Sockets Layer, que é a Camada de Soquete Seguro).

Ao passo que os marketplaces já têm seu próprio investimento em blindagem dos sites, além de alguns oferecerem garantias para o cliente que vai comprar, como reembolso mesmo em caso de não receber o item.

Quais vantagens do e-commerce?

Diante das comparações que fizemos acima, pode parecer que só o marketplace tem vantagens perante o e-commerce ou loja virtual, mas não é verdade. Então, vamos desfazer esse preconceito abaixo.

Praticidade aos clientes

Como na sua loja virtual você é que determina os prazos e as regras, um cliente que compre uma grua móvel pode acabar tendo sua solução muito mais rapidamente.

Facilidade na criação de anúncios

Ao desenvolver sua própria loja virtual, certamente você vai aprender muito com isso e já vai implementar mecanismos automatizados de criação de anúncios.

Com isso, vai ficar bem mais fácil migrar todo seu portfólio para seu e-commerce, atualizar as novidades em tempo real e muito mais.

Basicamente, como você é dono do seu espaço, é possível criar anúncios com funções do tipo “arrasta e solta” e com poucos cliques, manter tudo sempre em ordem.

Possibilidade de acompanhar os resultados

Quando o assunto é marketing digital, é fundamental ter subsídios e números para fazer o devido monitoramento, aplicando métricas que ajudam a mensurar os resultados.

Assim, é possível verificar quais estratégias estão indo bem e precisam continuar, e quais foram mal e precisam ser descontinuadas.

Nesse sentido, sua loja virtual vai emitir muito mais relatórios e bem mais detalhados do que um marketplace, que nem costuma registrar dados como o tráfego de gente que entrou no seu anúncio, o que fica mais claro abaixo.

Facilidade de monitoramento dos consumidores

Aprofundando a questão do acompanhamento, um dos dados mais importantes que você pode monitorar é o que está ligado ao comportamento dos consumidores.

Por exemplo, uma empresa de extrusão de alumínio precisa saber quantos visitantes entraram na página, qual o tempo que eles passam nela, se clicam ou não nos botões com CTA e daí em diante. Seu e-commerce fornece isso de modo bem vantajoso.

Quais vantagens do marketplace?

Agora vamos às vantagens do marketplace em relação ao seu e-commerce ou loja virtual, mostrando que também essa modalidade não pode sofrer preconceito.

Vantagens do marketplace:

Maior retenção;
Alcance de clientes;
Facilidade para começar a vender;
Otimização de recursos.

Maior retenção

A começar pela maior retenção que o marketplace é capaz de trazer, no sentido de que o cliente novo, que ainda não conhece sua marca ou sua solução, seja produto ou serviço, vai ficar mais à vontade para contar com a intermediação.

Alcance de clientes

Além da retenção, o alcance de clientes e compradores em potencial também é maior no marketplace, pois já citamos o fato de que eles investem pesado em marketing.

Alguns deles, por exemplo, aparecem até na televisão, coisa que uma marca de gravação em madeira que está começando provavelmente não conseguiria fazer por conta.

Facilidade para começar a vender

Diante da retenção e da exposição, podemos falar em uma efetiva facilidade maior para começar a vender. 

De fato, você faz o anúncio com poucos cliques e no momento seguinte já começa a aparecer para centenas ou mesmo milhares de interessados.

Otimização de recursos

Em termos de recursos como mão de obra e orçamento, o marketplace vai permitir que você otimize e muito sua operação, exigindo bem menos gente e um capital muito menor para começar a vender.

Como saber qual escolher para seu negócio?

Deixamos bem claro que não pode haver preconceitos ao falarmos sobre a vantagem de uma modalidade sobre outra.

Isso porque realmente vai depender de você, do seu estágio atual e dos seus interesses qual das duas escolher para trabalhar.

Uma clínica de psicopedagogia pode conseguir muitos pacientes entrando para um marketplace logo no começo das atividades, depois ir juntando dinheiro e implementando seu próprio e-commerce aos poucos.

Conclusão

Com isso chegamos ao fim, tendo deixado claro qual é a importância de compreender melhor a diferença entre um marketplace e um e-commerce ou loja física.

Além disso, demos várias coordenadas sobre como entrar nessa área com o pé direito, usando as boas práticas da web, que ajudam a obter sucesso mais rápido.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

vinte − 6 =