Como calcular OEE?

Entenda O Que É OEE E Veja Como Fazer O Cálculo Na Sua Empresa

Imagem de Sanon Matias

O OEE (Overall Equipment Effectiveness) é um índice essencial para medir a performance dos equipamentos industriais.

No setor, a produtividade e a eficiência são fatores críticos, pois deles depende o bom desempenho da empresa e a redução do desperdício de recursos financeiros e materiais.

Para além da eficiência dos processos e das pessoas, é vital compreender a eficiência das máquinas, e é exatamente aqui que o OEE se torna fundamental.

Ele oferece uma visão abrangente sobre como os equipamentos estão operando, identificando áreas de melhoria e oportunidades para otimização.

Nesse texto, apresentaremos melhor o conceito de OEE e aprender como calcular esse índice crucial.

Quer saber como otimizar a eficiência dos seus equipamentos e melhorar a produtividade da sua empresa? Agende agora uma demonstração gratuita do ERP WebMais. e descubra como podemos ajudar a transformar a gestão do seu negócio!

BANNER TOPO BLOG Estoque, compras e muito mais

O Que É OEE?

OEE significa “Overall Equipment Effectiveness” ou “Eficiência Global do Equipamento”, na tradução para o português.

Dessa forma, ele é um indicador que mostra a eficiência global das máquinas em uma indústria, tomando como base a sua capacidade de produzir novos itens.

O Japan Institute of Plant Maintenance foi quem desenvolveu o OEE. De acordo com a instituição, ele deve responder a três perguntas:

  • Com que frequência os equipamentos ficam disponíveis para operação?
  • O quão rápido estão produzindo?
  • Quantos produtos foram produzidos e não geraram perdas na produção?

Portanto, podemos dizer que o OEE traz métricas sobre disponibilidade, qualidade e performance dentro de uma indústria.

Para Que Serve O Indicador OEE?

Calcular o OEE ajuda a gestão de uma fábrica a diminuir os desperdícios e melhorar o desempenho das máquinas.

Isso torna toda a operação mais eficiente, pois, a partir dos resultados, é possível planejar otimizações nos processos.

O indicador ganhou bastante popularidade com a expansão do lean manufacturing, ou manufatura enxuta.

Sendo assim, é muito utilizado em indústrias que adotam essa filosofia.   Uma de suas principais vantagens é que ele apresenta a efetividade dos equipamentos de forma fácil e objetiva.

Em resumo, o OEE serve para que as empresas monitorem o desempenho de seus equipamentos e identifiquem altas e baixas na produção.

Como Funcionam As Avaliações Do OEE?

O OEE é uma métrica essencial na gestão da produção industrial. Ele fornece uma visão abrangente da eficiência operacional das máquinas, combinando três fatores cruciais: Disponibilidade, Performance e Qualidade.

  • A disponibilidade refere-se ao tempo em que a máquina está operável em relação ao tempo planejado de produção. Interrupções não planejadas, como falhas ou paradas para manutenção, reduzem a disponibilidade;
  • Performance avalia se a máquina está operando em sua capacidade máxima. Diferenças entre a velocidade ideal e a real de operação afetam negativamente esse indicador;
  • Qualidade mede a proporção de produtos fabricados sem defeitos. Qualquer retrabalho ou sucata gerada impacta negativamente a qualidade.

O cálculo do OEE é simples:

  • OEE = Disponibilidade x Performance x Qualidade.

Cada um desses fatores é expresso como uma porcentagem, e o resultado final também é uma porcentagem que indica a eficiência total do equipamento.

Por exemplo, se uma máquina tem 90% de disponibilidade, 95% de performance e 98% de qualidade, o OEE será 0,90 x 0,95 x 0,98 = 0,8361, ou 83,61%.

Qual A Importância De Conhecer O OEE?

O OEE é considerado um indicador integrador de áreas, pois permite que a gestão tenha informações sobre toda a fábrica. Por isso, todos devem trabalhar em conjunto para a sua melhoria.

Além disso, o OEE também influencia na tomada de decisão estratégica, já que traz dados valiosos sobre a eficiência da produção na empresa.

Conhecer o OEE otimiza a sua tomada de decisões estratégicas

É por meio dele que os gestores conseguem visualizar a real capacidade da indústria em atender a demanda do mercado.

Além disso, também traçam planos para tornar os processos cada vez mais eficientes. Até mesmo pequenas melhorias podem trazer grandes impactos para o resultado da empresa.

Por isso que os investimentos feitos na melhoria do OEE costumam trazer retornos rápidos.

Como Calcular A Eficiência Global Dos Equipamentos Da Sua Indústria?

Para fazer o cálculo do OEE, é importante entender que ele se desmembra em três indicadores.

Eles são disponibilidade, performance e qualidade. Então, para facilitar, a seguir, veja como calcular cada um desses indicadores para conseguir aplicá-los na fórmula!

Disponibilidade

A disponibilidade é o indicador que corresponde aos tempos de parada da linha de produção.

Ou seja, eventos como paradas para manutenção, setup ou até mesmo períodos de falta de matéria-prima.

Para o cálculo, deve-se considerar as paradas programadas para manutenção preditiva e limpeza.

Além disso, também as paradas não planejadas, que costumam acontecer por imprevistos.

Se uma máquina precisa ficar parada 4 horas por dia, independentemente da razão, o tempo disponível de produção em um dia será diminuído de 24 para 20 horas.

Para calcular a disponibilidade de um equipamento, você deve usar a seguinte fórmula:

  • Disponibilidade = (tempo produzindo / tempo programado para produzir) x 100

Performance

A performance é o indicador que representa a relação entre velocidade de produção e a velocidade que cada equipamento foi projetado para ter.

A redução na velocidade e produção geralmente acontece quando há falhas de operadores ou falta de treinamento.

Além disso, também ocorre quando existem materiais que não atendem às especificações desejadas.

Se uma máquina leva 20 horas para produzir 1200 peças, mas só produziu 1000, a sua produção naquele dia foi equivalente a somente a 16,6 horas de trabalho.

Nesse caso, podemos afirmar que a performance da máquina está abaixo do esperado.  Para calcular a performance de um equipamento, você deve usar a seguinte fórmula:

  • Performance = (quantidade de produção real / quantidade de produção teórica) x 1003

Qualidade

Já a qualidade é o indicador que relaciona a quantidade produzida que, de fato, atende aos padrões de qualidade da empresa.  Para calcular o índice, você deve considerar:

  • A quantidade total produzida em determinado período;
  • Os produtos que estão fora do padrão serão descartados. Isso representa a quantidade refugada;
  • Quantidade retrabalhada, que são os produtos feitos para suprir as lacunas daqueles que foram descartados.

Mas, para o cálculo da qualidade a qualidade, você deve usar a seguinte fórmula:

  • Qualidade = (quantidade de itens bons / quantidade total produzida) x 100

Fórmula Do OEE

Depois de encontrar os valores relativos a esses pontos, você pode calcular o OEE aplicando a fórmula:

  • OEE = disponibilidade x performance x qualidade

Quais As Principais Perdas Do OEE?

Dentro do OEE, falamos também sobre algumas perdas de tempo, que podem prejudicar a performance da empresa.

Neste tópico, você vai conhecer as seis principais causas para essas perdas.

Quebras E Avarias

Quebras e avarias referem-se ao tempo em que o equipamento fica inoperante devido a falhas mecânicas, elétricas ou outras.

Ilustração de mulher branca, preocupada com as mãos na cabeça, vestindo camiseta laranja, ao lado do texto: "Principais perdas do OEE - Quebras e avarias - Ajustes e setups - Atrasos e paradas - Velocidade diminuída - Refugo de setup - Refugo de produção"

Quando um equipamento quebra ou apresenta avarias, ele não pode desempenhar suas funções até que os reparos necessários sejam concluídos.

Esse tempo de inatividade é considerado perdido, pois a produção é interrompida, resultando em atrasos e possíveis impactos na cadeia produtiva.

A manutenção preventiva pode minimizar essas ocorrências, mas é quase impossível eliminá-las completamente.

Ajustes E Setups

Ajustes e setups envolvem o tempo gasto na preparação e configuração das máquinas para iniciar ou alterar a produção.

Isso inclui a troca de ferramentas, a realização de setups para diferentes produtos, startups e ajustes finos para garantir a qualidade desejada.

Cada vez que um setup é realizado, há um período em que a produção está parada, o que contribui para a perda de tempo.

Dessa forma, otimizar esses processos e reduzir a frequência de setups pode ajudar a melhorar a eficiência global.

Atrasos E Paradas

Atrasos e paradas representam um tipo de perda de tempo mais difícil de mensurar, pois estão relacionados às pequenas pausas feitas pelo operador durante sua jornada de trabalho.

Essas paradas podem incluir idas ao banheiro, pausas para beber água ou outros pequenos intervalos.

Além disso, atrasos no início da produção devido à demora na chegada do operador ao trabalho também entram nessa categoria.

Apesar de parecerem insignificantes, esses pequenos atrasos se acumulam e podem ter um impacto significativo na eficiência produtiva ao longo do tempo.

Velocidade Diminuída

A perda de tempo relacionada à velocidade diminuída ocorre quando um equipamento opera abaixo de sua capacidade máxima.

Por exemplo, se uma máquina tem capacidade para produzir 2000 peças por hora, mas está produzindo apenas 1600, há uma perda de eficiência.

Essa redução na velocidade pode ser causada por diversos fatores, como problemas técnicos, desgaste de componentes, ou ajustes inadequados.

Sendo assim, identificar e corrigir essas causas é crucial para garantir que os equipamentos operem em seu máximo potencial.

Refugo De Setup

O refugo de setup refere-se às perdas de peças que ocorrem durante a fase de regulagem de uma máquina.

Quando uma máquina está sendo ajustada para iniciar a produção, é comum que algumas peças sejam descartadas até que os parâmetros ideais sejam atingidos.

Essas peças são consideradas refugo e representam uma perda de tempo e material, pois não podem ser vendidas ou utilizadas.

Minimizar o tempo de setup e ajustar as máquinas de forma mais eficiente pode reduzir essas perdas significativamente.

Refugo De Produção

O Refugo de produção envolve a perda de peças que são produzidas conforme os parâmetros estabelecidos, mas que não atendem aos padrões de qualidade esperados.

Essas peças, apesar de produzidas dentro do processo regular, apresentam defeitos ou discrepâncias que as tornam inadequadas para uso ou venda, resultando em desperdício de tempo e recursos.

Melhorar os processos de controle de qualidade e monitorar continuamente a produção pode ajudar a reduzir a incidência de refugo de produção.

BANNER Tudo o que a sua produção precisa para crescer está no ERP WebMais!

Quando Utilizar O OEE?

O OEE deve ser utilizado sempre que for necessário tomar decisões sobre as melhorias na produção líquida.

Além disso, sempre que o time de gestão da fábrica tiver dúvidas sobre a eficiência dos processos, o OEE é a melhor forma de encontrar respostas.

Essas são algumas das perguntas que o indicador pode ajudar a responder:

  • Por que uma máquina consome mais matéria-prima do que outra?
  • Qual máquina passa mais tempo parada e por quê?
  • Algumas máquinas entregam menos produtos, mesmo que nunca tenham quebrado. Por que isso acontece?
  • Como eu faço para a empresa produzir mais?

Exemplo De Aplicação Do OEE

Vamos exemplificar para facilitar a sua compreensão. Então, comece imaginando uma empresa que atue por 14 horas diárias. Isso significa que, durante as 24 horas do dia, ela permanece fechada por 6 horas.

Duas das 14 horas de expediente são exclusivas para as paradas planejadas, como no horário de almoço.

Dessa forma, a produção costuma ser pausada nessas horas, reduzindo o tempo de trabalho para 12 horas.

Do total, é preciso garantir, em média, 3 horas para consertos e manutenções essenciais. Assim, sobram 9 horas de produção.

Agora, é hora de calcular a taxa de disponibilidade. Para isso, você precisa dividir o total de horas disponíveis – nesse caso, 9 horas -, pelas horas originais, que são 12.

No fim, o resultado é a taxa de 75% de disponibilidade. Agora, é preciso buscar a taxa de performance.

Para tanto, o gestor deve tomar como base as metas de rendimento ou produção. Assim, uma produção que deveria ter entregue 1 mil peças em 1 hora de trabalho, mas entregou apenas 900, teve performance inferior.

Essa baixa na produção costuma ocorrer por conta das horas de pausa para manutenção e afins.

Em resumo, a sua máquina produziu menos do que poderia. O resultado da taxa de performance é de 90%. É claro, esse exemplo está simplificado para facilitar seu entendimento.

Por fim, vamos completar o cálculo com a taxa de qualidade da produção. Das 900 peças que a máquina produziu, vamos considerar que 350 estão com defeito. Assim, a taxa de qualidade fica em 38%, considerada baixa.

Quais As Vantagens De Medir O OEE?

Por monitorar a operação e integrar diversos setores, o OEE traz alguns benefícios para a linha de produção:

Diminuição do desperdício

O OEE ajuda a identificar áreas onde ocorre desperdício de recursos, seja material, tempo ou mão de obra, permitindo a implementação de medidas para reduzi-lo;

Identificação de pontos de melhoria

Ao monitorar a eficiência da linha de produção, o OEE revela quais processos podem ser aprimorados, possibilitando a implementação de melhorias contínuas.

Ilustração de homem branco, sorrindo, vestindo camiseta branca e casaco laranja, utilizando um notebook cinza ao lado de uma estrela laranja, e o texto: "Vantagens de medir o OEE

- Redução de desperdícios
- Identificação de pontos de melhorias
- Utilização do tempo de forma inteligente
- Melhor aproveitamento dos equipamentos
- Redução de falhas
- Correção de erros
- Entregas dentro do prazo
- Aumento dos níveis de qualidade"

Utilização do tempo de forma inteligente

Com dados precisos sobre o desempenho da produção, as equipes podem otimizar o uso do tempo, evitando ociosidade e maximizando a produtividade.

Melhor aproveitamento dos equipamentos

Ao entender como os equipamentos estão sendo utilizados e onde ocorrem as maiores perdas de eficiência, é possível otimizar sua operação para um melhor aproveitamento.

Redução de falhas

A análise constante do OEE permite identificar padrões de falhas e implementar medidas preventivas para reduzir incidentes e interrupções não planejadas.

Correção de erros

Com dados em tempo real, as equipes podem identificar e corrigir erros de forma ágil, evitando retrabalho e mantendo a qualidade do produto final.

Entregas dentro do prazo

Ao aumentar a eficiência e reduzir falhas, o OEE contribui para que as entregas sejam realizadas dentro do prazo estabelecido, melhorando a satisfação do cliente.

Aumento dos níveis de qualidade

Ao focar na eficiência e na correção de falhas, o OEE promove um aumento consistente nos níveis de qualidade dos produtos fabricados, fortalecendo a reputação da empresa no mercado.

Como Potencializar Os Resultados Do OEE?

Além de conhecer o OEE, é fundamental que o gestor de uma fábrica saiba o que fazer para potencializar os seus resultados.

Assim, terá uma organização cada vez mais produtiva e, consequentemente, trazendo melhores resultados.

O primeiro passo para potencializar o OEE é integrar o seu monitoramento com outras ferramentas. Isso vai permitir que todos os setores tenham acesso a todas as informações e trabalhem de maneira mais precisa.

Outra dica é contar com um sistema que indique o OEE de forma automática e envie um alerta quando ele não estiver de acordo com o esperado.

Além disso, a empresa pode adotar algumas outras ações. Entre elas, o treinamento de funcionários e a integridade na hora de criar relatórios.

Isso vai garantir que todas as informações registradas são verdadeiras e precisas.

OEE X Produtividade Das Máquinas

A relação entre OEE e produtividade é direta e significativa: o OEE reflete a eficiência das máquinas na produção, que é a quantidade de produtos fabricados em um período específico.

Um OEE alto indica que as máquinas estão operando de forma eficiente, com pouca ou nenhuma perda em disponibilidade, performance e qualidade.

Isso resulta em uma maior produção de produtos dentro do mesmo tempo operacional, otimizando os recursos e reduzindo custos. Por outro lado, um OEE baixo aponta para ineficiências significativas.

Dessa forma, máquinas com problemas frequentes reduzem a produção e aumentam custos. Corrigir essas ineficiências é crucial para melhorar a produtividade.

Sendo assim, empresas que monitoram e analisam continuamente o OEE são capazes de identificar pontos fracos em seu processo de produção e implementar melhorias específicas.

Isso não apenas melhora a produtividade, mas também a rentabilidade e a competitividade no mercado.

Qual Nível De OEE É Bom?

Determinar um bom nível de OEE depende de diversos fatores, incluindo o setor industrial e o tipo de equipamento utilizado.

Níveis de OEE

No entanto, existem benchmarks gerais que podem ser utilizados como referência:

  • 60% ou menos: Indica uma necessidade urgente de melhorias. Este nível sugere problemas significativos na disponibilidade, performance ou qualidade;
  • 60% a 75%: Este é um OEE médio. Indica que há espaço considerável para melhorias, mas que alguns processos já estão otimizados;
  • 75% a 85%: Considerado um bom OEE. A maioria das empresas bem geridas encontra-se nesta faixa, com processos relativamente eficientes e bem controlados;
  • 85% ou mais: Esse é um nível de classe mundial. Empresas que alcançam este nível têm processos altamente eficientes e controlados, com poucas perdas em qualquer uma das três áreas de medição do OEE.

Alcançar um OEE de 100% é extremamente difícil e muitas vezes impraticável, pois isso exigiria que as máquinas operassem sem paradas, falhas ou defeitos, o que é quase impossível na prática.

Tecnologia Que Fortalece O OEE

A tecnologia desempenha um papel crucial na melhoria do OEE. Diversas soluções tecnológicas ajudam a monitorar, analisar e otimizar os processos produtivos.

Algumas das tecnologias mais importantes incluem:

  • IoT (Internet das Coisas): Sensores conectados às máquinas fornecem dados em tempo real sobre a operação e condição dos equipamentos. Isso permite a detecção precoce de falhas e a manutenção preditiva, aumentando a disponibilidade e a performance das máquinas;
  • Big Data e Analytics: A análise de grandes volumes de dados operacionais ajuda a identificar padrões e tendências que podem estar afetando o OEE. Insights derivados dessas análises permitem melhorias informadas nos processos produtivos;
  • Sistemas MES (Manufacturing Execution Systems): Estes sistemas conectam o chão de fábrica com os sistemas de gestão, fornecendo uma visão completa e integrada da produção. Isso facilita a identificação e correção de ineficiências em tempo real;
  • Inteligência Artificial e Machine Learning: Essas tecnologias podem prever falhas antes que ocorram, otimizar os parâmetros de operação das máquinas e melhorar a qualidade dos produtos através de análises sofisticadas de dados.

Conheça O ERP WebMais

O ERP WebMais é uma solução que fortalece a gestão da produção e o OEE, integrando todas as áreas da empresa e oferecendo ferramentas para otimizar processos operacionais.

Personalizável e intuitivo, o WebMais facilita a identificação de ineficiências e implementação de melhorias, potencializando a produtividade e eficiência das empresas.

Em resumo, a avaliação do OEE é fundamental para a melhoria contínua na produção industrial, e tecnologias como o ERP WebMais são cruciais para fornecer dados necessários para otimizar a eficiência das máquinas.

BANNER A melhor tecnologia para avaliar OEE e outros indicadores está aqui!

Conclusão

Em conclusão, o OEE é um indicador essencial para medir a produtividade e eficiência do maquinário da sua indústria. Por isso, é justo dizer que o OEE é bem importante para a sua gestão.

Então, que tal melhorar a gestão dos dados que te permitem fazer o cálculo? Com o ERP WebMais, você controla as informações mais importantes da sua empresa e tem relatórios essenciais para a gestão completa da empresa.

Agende uma demonstração gratuita e saiba como o sistema vai facilitar seu trabalho e otimizar seus resultados.

Deixe um comentário