Veja como a manufatura afeta sua empresa

Manufatura: O Que É, Tipos E Impactos Na Economia

Entender o que é manufatura e quais são seus tipos e processos mais comuns é muito importante para sua gestão. Assim, a aplicação é feita da maneira correta nos vários segmentos produtivos existentes.

Nunca se fez tão necessário como agora utilizar processos produtivos alinhados ao planejamento estratégico da empresa. Dessa forma, a qualidade, redução de custos e alta produtividade ocorrem sem imprevistos.

Por isso, separamos alguns tópicos neste artigo para você entender melhor sobre estes conceitos. Acompanhe a leitura e veja como e em quais segmentos atuam os diferentes processos de manufatura.

Mas, antes de ler o artigo, que tal experimentar o ERP WebMais? Ele oferece uma gestão completa para a sua indústria, trazendo dados e relatórios importantes para sua produção. Agende uma demonstração e conheça a ferramenta.

Agora, vamos para a leitura?

BANNER TOPO BLOG Estoque, compras e muito mais

O Que É Manufatura?

Manufatura é uma palavra derivada do latim: manu = mão, factura = feitio. Assim, em uma análise literal da palavra, manufatura significa fazer com as mãos.

Nesse sentido, o termo refere-se a uma grande variedade de atividades dos seres humanos, que vão desde o artesanato até a tecnologia de ponta.

Antigamente, o artesanato era considerado uma atividade manufatureira, pois era onde se concentrava a aplicação do conceito de manufatura.

Hoje em dia, esse conceito é mais aplicado à área industrial. Isso porque é lá que temos, em grande escala, a matéria-prima transformada em produtos.

Daí se conhece o conceito mais atual da palavra manufatura, que significa transformação.

Essa mudança no conceito foi o que permitiu classificar como manufatureiras diversas indústrias ligadas à produção de bens, como a automobilística, alimentícia, eletrônica, calçados e muitas outras.

Atualmente, uma das tecnologias que mais facilita o controle da manufatura são os ERPs. O sistema da WebMais, por exemplo, traz um módulo de produção, que facilita e otimiza a gestão da sua indústria. Conheça a ferramenta e entenda como ela melhora seus resultados.

O Que É Uma Indústria De Manufatura?

Este segmento pode ser entendido como toda e qualquer empresa, independente do porte, que transforma matéria-prima em um produto. Isso vale tanto para o produto final ou parte de um produto que ainda será montado.

Setores como a construção civil, indústrias de peças para aeronaves, automóveis, tecnologia, bem como seus produtos finais, indústria alimentícia, entre outros fazem parte da área manufatureira.

Qual É O Objetivo Da Manufatura?

Primordialmente, o objetivo da manufatura nada mais é do que a transformação de matérias-primas em um único produto, como tijolos, papel, cerâmica, vidro, entre outros.

No entanto, não é apenas criar um item. É preciso atender as necessidades e expectativas dos clientes, além de garantir a sustentabilidade econômica da empresa.

Portanto, ela busca a qualidade dos produtos, ao mesmo tempo que tenta a redução dos custos, o aumento da produtividade e a inovação contínua dos processos produtivos.

Qual A Importância Do Sistema De Manufatura Na Economia?

O sistema de manufatura é de extrema importância na economia. O motivo é claro: ele é responsável pela produção de bens e produtos consumidos pela população.

Por transformar insumos em mercadorias acabadas, é uma atividade fundamental para a criação de empregos, aumento da produtividade e crescimento econômico.

Além disso, permite a criação de produtos em grande escala, tornando-os acessíveis a preços mais baixos. Isso aumenta o poder de compra das pessoas e a demanda por esses itens.

Sem mencionar que o setor produz muitos produtos com alto valor agregado, exportados para outros países, o que gera receitas e equilibra a balança comercial.

sistema de manufatura

A manufatura também é um setor intensivo em inovação. Isso porque novas tecnologias são desenvolvidas e aplicadas para melhorar os processos de produção e criar novos produtos, trazendo boa reputação à nação.

A Revolução Industrial E A Manufatura

No contexto da Revolução Industrial, a manufatura sofreu um grande impacto, uma vez que foi nesse período que ocorreu uma transformação significativa nos processos de produção.

Antes desse cenário, a manufatura era realizada em oficinas artesanais, onde os trabalhadores produziam bens à mão, usando ferramentas simples.

A chegada de novas tecnologias e máquinas, como a máquina a vapor, o tear e o torno mecânico, permitiu a produção em grande escala. Além disso, as inovações viabilizaram produzir em menor tempo e a preços mais baixos.

Também foi responsável pelo surgimento das fábricas, onde a produção era realizada com máquinas e trabalhadores especializados.

Essa mudança na forma de produção contribuiu significativamente para o crescimento econômico e para o desenvolvimento do comércio internacional.

Entre os séculos XVIII e XX, ocorreu o desenvolvimento da segunda e terceira Revolução Industrial. Isso permitiu ainda mais aperfeiçoamento das máquinas e o surgimento de metodologias como o Fordismo, para acelerar e reorganizar os processos.

Após o século XX, o Lean Manufacturing se tornou um método cada vez mais usado na produção de serviços, itens e para a melhoria das operações.

Hoje em dia, contamos com outras formas de definir as ordens de produção, geralmente com base nas necessidades do mercado e dos consumidores. Além disso, também existem estratégias produtivas focadas na melhoria contínua.

Quais São As Principais Características Da Manufatura?

A manufatura se caracteriza pela transformação de insumos em produtos para o uso cotidiano, podendo ser feito de forma manual (artesanato) ou automatizada.

Grande parte das indústrias manufatureiras utilizam máquinas para desempenhar funções bastante específicas e o trabalhador acaba se transformando no operador destes equipamentos.

Além disso, ainda está presente o uso de tecnologias de ponta, visando uma maior produtividade e redução de desperdícios.

banner sua indústria 40% mais produtiva com o erp webmais

Como Funciona O Sistema De Manufatura?

Em uma manufatura, há divisão de tarefas entre grupos de trabalhadores. Além disso, eles têm horários de trabalho determinados.

As atividades a serem realizadas são ajustadas de acordo com a demanda e das especificidades da empresa. A produção pode ser feita em massa ou sob demanda, de forma mais exclusiva.

Ou seja, os sistemas de manufatura são adaptáveis e, por isso, interessantes para diferentes tipos de negócio.

Qual A Diferença Entre Artesanato E Manufatura?

A manufatura, como você já sabe, é a transformação de matéria-prima em produtos, por meio de processos industriais. Mas, hoje em dia, esse conceito é mais voltado para a produção em larga escala.

Já o artesanato diz respeito a trabalhos manuais, feitos individualmente por pessoas, para a fabricação de uma peça única. Ou seja, é um trabalho mais caseiro, com características diferenciadas e produtos individuais, sem a padronização da produção em larga escala.

Para as indústrias, o ideal é contar com um sistema ERP eficiente e que otimize resultados. É o caso do ERP WebMais, especializado em indústrias. Quer conhecer a ferramenta? Então agende uma demonstração gratuita e saiba mais.

Quais Os Tipos De Manufatura?

Eventualmente, com a constante evolução dos processos produtivos para se adequar à competitividade imposta pela globalização, novos tipos de manufaturas foram surgindo.

trabalhadores e os tipos de manufatura

Além disso, a Indústria 4.0 também facilitou essa evolução, de modo a reunir as melhores características dos processos clássicos e incluir novas ferramentas de produção e gestão.

Manufatura Enxuta (Lean Manufacturing)

Também conhecida como Lean Manufacturing, a manufatura enxuta visa eliminar desperdícios. Nesse sentido, ela melhora processos e otimiza o desempenho da organização.

Sua origem se deu no Sistema Toyota de Produção, cujo objetivo era identificar e eliminar desperdícios. Então, o foco é reduzir custos e aumentar a qualidade e velocidade de entrega do produto (automóvel) ao cliente.

Dessa forma, suas principais características são o baixo volume de estoque e a mão de obra altamente capacitada e polivalente.

Manufatura Reversa

A manufatura reversa permite o reaproveitamento de matérias-primas do processo produtivo que sofreram refugo, se tornaram obsoletos ou estão em fim de vida. Assim, acabam fazendo a sua reinserção na produção.

Nesse ínterim, com a crescente preocupação das organizações com o impacto ambiental gerado pelas suas operações, a manufatura reversa traz uma grande vantagem. Ela busca agir para contribuir para a sustentabilidade.

Manufatura Aditiva

Manufatura aditiva é uma técnica de fabricação digital, comumente conhecida como impressão 3D. Suas maiores características são a produção em pequenos lotes e a redução de tempo, de custos e de materiais.

Este tipo de processo vem sendo utilizado com maior frequência nos últimos anos, atuando como uma grande vantagem para produção de uma vasta variedade de peças. Isso porque elas se adaptam facilmente a qualquer produto, sem a necessidade de se utilizar moldes físicos.

Porém, como qualquer tecnologia recente, ainda enfrenta desafios como falta de mão de obra especializada para operá-la e também problemas com custos de software, hardware e matéria-prima.

Manufatura Repetitiva

A manufatura repetitiva é aquela que foi retratada no clássico filme Tempos Modernos, com Charlie Chaplin. Na obra, ele dava vida a um operário que fazia tarefas repetitivas em sua rotina, sempre apertando os mesmos parafusos.

Nesse tipo de manufatura, a produção é em massa e são produzidos, por hora, um grande volume de produtos, geralmente idênticos mutuamente.

Essa metodologia é muito adotada em empresas que trabalham com apenas um produto e está muito presente no fordismo.

Manufatura Discreta

Já na manufatura discreta, os produtos têm um perfil mais exclusivo, pois essa metodologia permite que eles sejam customizados.

Assim sendo, o modo de fabricação é mais específico e lento, já que, às vezes, é necessário fazer ajustes em máquinas e em alguns processos.

Alguns exemplos de produtos fabricados em manufatura discreta são carros, aviões e barcos.

Manufatura Por Oficinas

Na manufatura por oficina, os produtos podem ser ainda mais personalizados do que na manufatura discreta. Aqui, os produtos passam por um fluxo que pode exigir configurações específicas para cada produto.

As empresas que trabalham com essa metodologia normalmente têm instalações mais avançadas e tecnologias de automatização da produção.

Manufatura Contínua

A manufatura contínua é aquela que funciona 24 horas, sete dias por semana, sem interrupção da produção. As empresas que atuam com esse método produzem em larga escala, nomeadamente produtos com baixa variedade e com fluxos mais rígidos.

Manufatura Por Lote

Por fim, falaremos sobre a manufatura por lote, que é similar à manufatura discreta, porém com um volume de produção mais alto e com variedade moderada.

Os lotes produzidos podem ter diferenças entre si, mas não é comum customizar individualmente cada produto.

O Que São Os Sistemas De Manufatura?

Para ser possível obter um controle total das operações de manufatura da sua indústria, é imprescindível o uso de um sistema de gestão integrado.

O sistema de manufatura deixa os processos organizados. Com ele, é possível identificar as falhas nas operações e propor mudanças para extrair o melhor das máquinas e dos funcionários, gerando um aumento na produtividade.

A cada dia, aumentam as exigências do consumidor sobre a qualidade e agilidade na entrega das mercadorias.

Um software de manufatura contribui para a organização desempenhar o trabalho com mais eficiência e produzir itens dentro dos prazos prometidos aos clientes.

A ferramenta de gestão ainda dá mais flexibilidade ao negócio, uma vez que ela acompanha o crescimento da empresa.

banner processos mais organizados com o erp webmais

O Que É Engenharia De Manufatura?

Todos os modelos de manufatura dependem de projetos de engenharia, que determinam quais processos são necessários para a fabricação dos produtos.

É aí que entra a engenharia de manufatura, a área do conhecimento que estuda e aplica melhorias a processos produtivos. Isso tudo com base em conceitos e técnicas de diversas áreas, como engenharia mecânica, elétrica, de materiais, de controle e automação, entre outras.

Faz parte das atividades do engenheiro de manufatura pesquisar, selecionar e desenvolver ferramentas e processos, além de instalar máquinas e integrar os sistemas produtivos.

O Que É Controle De Manufatura?

O controle de manufatura nada mais é do que uma maneira de garantir a qualidade do produto durante todas as etapas. Isso inclui a recepção e estoque das matérias-primas, e vai até o final da linha de produção.

Ou seja, envolve a coleta, análise e interpretação de dados sobre a produção, permitindo que sejam identificados possíveis problemas e oportunidades de melhoria nos processos produtivos.

Para um controle mais apurado da produção, o uso de um sistema específico é essencial, conforme você verá a seguir.

Por que Investir Em Um Sistema De Manufatura?

Os sistemas de manufatura são extremamente úteis para auxiliar o gestor a ter um controle total das operações. Isso pode resultar no aumento no faturamento e diminuição dos prejuízos. Abaixo, você confere os motivos para fazer esse investimento!

Maior Produtividade

Em uma linha de produção, pode-se encontrar muitos momentos em que a velocidade do trabalho tem uma queda. Isso porque, muitas vezes, ocorre um problema em alguma etapa de produção.

Ao utilizar um sistema, é possível monitorar a cadeia de montagem e identificar os pontos em que há paradas. Como consequência, o gestor poderá planejar ações para corrigir essas falhas e aumentar a produtividade.

Redução De Falhas

Outra vantagem da ferramenta é o controle que ela oferece ao gestor. Cada colaborador precisa utilizar um login e uma senha para acessar o software, permitindo a identificação de quem alterou cada informação.

Assim, também é possível acompanhar com mais precisão as atividades que cada colaborador realiza.

Diminuição Dos Gastos

O monitoramento constante dos equipamentos auxilia na realização de manutenções preventivas que, por sua vez, evitam o desperdício de matéria-prima.

Somado a isso, um sistema ERP favorece a gestão de estoque e o controle de perdas de mercadorias.

Como Fazer Uma Gestão De Manufatura Mais Eficiente?

Todos esses avanços tecnológicos contribuem para uma gestão ainda mais eficiente da produção industrial.

Além dos sistemas de gestão, outro ponto que não podemos deixar de citar aqui é a Internet das Coisas. Ela permite que muitos dispositivos se conectem entre si e possam ser controlados remotamente.

A Internet das Coisas, ao longo dos últimos anos, vem se tornando uma importante ferramenta de gestão de manufaturas. Ela permite a integração de processos e traz mais flexibilidade para as técnicas de produção — e, acima de tudo, tornando as fábricas mais inteligentes.

Um sistema ERP, além de todos os pontos que já apresentamos no tópico anterior, ainda facilita o controle dos sistemas integrados com a Internet das Coisas.

Assim, centraliza os comandos e faz com que a gestão seja ainda mais ágil. Experimente o ERP WebMais gratuitamente.

Quais São Os Benefícios De Ter Um ERP Na Gestão De Manufatura?

Como falamos, o ERP centraliza todo o controle dos processos produtivos, indo além da gestão da operação.

Com um sistema desses, é possível controlar desde a compra de matéria-prima até a venda dos produtos para o próximo agente da cadeia produtiva. Para isso, passa-se pela gestão de pessoas, de máquinas, de estoque, entre outras coisas.

erp ajudando na gestão de manufatura

Veja quais são os principais benefícios de contar com um sistema ERP completo para gerenciar a sua indústria:

Eliminar Prejuízos

Um ERP ajuda o gestor a diminuir desperdícios e perdas, já que permite um controle rigoroso sobre a eficiência das máquinas, utilização de materiais e produtividade do time.

Também controla melhor o estoque, gerando alerta sobre novas aquisições, o que reduz a necessidade de realizar compras emergenciais e evitando a aquisição de materiais em excesso.

Minimizar Falhas

O ERP também ajuda a diminuir falhas, pois prevê manutenções preventivas para as máquinas. Isso evita a parada na produção e a necessidade de substituir equipamentos sem planejamento – o que, além de inconveniente, também é bastante dispendioso.

A integração dos processos também permite o monitoramento em tempo real das diversas etapas de produção, desde o recebimento dos materiais até a expedição dos produtos acabados.

Com isso, é possível detectar problemas mais rapidamente e corrigi-los antes de se agravarem.

Aumentar A Produtividade E A Eficiência

Com um sistema de gestão, também é mais fácil da empresa encontrar gargalos de produção e execução. Assim, consegue criar estratégias de melhoria para qualquer etapa do sistema produtivo, tornando o trabalho mais eficiente.

O ERP também ajuda a planejar melhorias, pois traz dados completos sobre os processos internos. A análise disso permite que o gestor tenha insights interessantes e possa traçar novos planos para aumentar a eficiência e a produtividade do trabalho.

Melhorar A Qualidade Dos Produtos

Ao encontrar esses gargalos e outros defeitos nos processos produtivos, também é possível planejar e implementar estratégias para melhorar a qualidade dos produtos.

E só benefícios podem ser gerados a partir dessas ações: os clientes ficam mais satisfeitos, as vendas aumentam, a imagem da empresa melhora no mercado, entre outras coisas.

Prever Demandas

A análise dos dados apresentados pelo ERP também auxilia a gestão da manufatura a ter mais previsibilidade sobre os próximos passos, identificando sazonalidades, por exemplo.

Assim, a gestão da empresa consegue se programar para os próximos períodos, seja aumentando ou diminuindo a produção para se adequar às demandas do mercado.

Reduzir Custos De Produção

O ERP também identifica gastos que não são necessários e perdas no processo produtivo. A partir disso, é possível traçar planos para reduzir significativamente os custos de produção, tornando a manufatura ainda mais lucrativa.

Sem mencionar que com um bom gerenciamento, é possível evitar desperdícios, retrabalhos e paradas não programadas. Isso contribui para diminuir os custos de produção e, consequentemente, para a melhoria da rentabilidade da empresa.

Ter Maior Controle Geral Da Produção

Por armazenar e organizar um alto volume de dados sobre a produção, o sistema ERP centraliza todas as informações importantes, integrando os mais diversos setores da empresa.

Assim, é viável ter, ao mesmo tempo, uma visão mais ampla e mais detalhada sobre toda a operação.

Ferramentas Comumente Utilizadas

Existem diversas ferramentas utilizadas na prática da manufatura, com objetivo de otimizar a produção, aumentar a eficiência e reduzir custos. Veja as principais:

  • Lean Manufacturing: é uma filosofia de produção que visa eliminar o desperdício e aumentar a eficiência dos processos;
  • 5S: promove a organização e limpeza do ambiente de trabalho, tornando-o mais seguro e eficiente;
  • Kanban: faz a gestão de produção com uso de cartões para controlar o fluxo de materiais e informações, permitindo um controle mais eficiente do estoque e dos processos produtivos;
  • Poka-Yoke: visa evitar erros no processo produtivo, ao utilizar dispositivos que impedem a realização de ações incorretas;
  • TPM (Total Productive Maintenance): visa maximizar a eficiência dos equipamentos, por meio da manutenção preventiva e da eliminação de paradas não programadas;
  • Six Sigma: é uma metodologia de gestão da qualidade com objetivo reduzir a variabilidade dos processos, eliminando defeitos e melhorando a qualidade dos produtos;
  • Kaizen: é uma técnica de melhoria contínua para identificar e resolver pequenos problemas e aperfeiçoamentos no processo produtivo;
  • SMED (Single Minute Exchange of Die): tenta reduzir o tempo de troca de ferramentas e moldes, permitindo uma maior flexibilidade na produção;
  • Jidoka: é uma filosofia que dita a qualidade no processo produtivo, por meio da detecção imediata de defeitos e da parada da produção para resolução do problema;
  • Heijunka: nivela a produção para evitar oscilações na demanda, mas reduzir os estoques;
  • Just in Time: é a gestão da produção para diminuir os estoques ao mínimo necessário, produzindo apenas o que é preciso, no momento certo e na quantidade certa.

Também existem sistemas de gestão automatizados que evitam erros no processo de desenvolvimento das suas soluções.

Um bom exemplo é o software ERP, que integra todos os dados de todos os departamentos e fornece uma fabricação mais precisa e confiável.

banner você no controle da produção da sua indústria

Conclusão

Como vimos ao longo deste artigo, o processo de manufatura está presente em nossas vidas há muito tempo e é vital para a manutenção da forma como vivemos hoje.

Para as indústrias poderem ter processos cada vez mais eficazes e enxutos, contar com o apoio da tecnologia é fundamental, como o ERP para indústrias WebMais.

Com ele, você tem um controle total de todas as etapas da produção, vendas, estoque, expedição e financeiro. Entre em contato com um de nossos especialistas e veja como podemos te auxiliar.

Imagem de Sanon Matias
Sanon Matias

Fundador da WebMais Sistemas, Sanon Matias Fortunato possui mais de 25 anos de experiência em diversas vertentes das tecnologias e gestão empresarial, com ênfase em Indústria e Distribuição.

Deixe um comentário