Veja exemplos atualizados de balanço patrimonial

Guia Completo + Exemplos De Balanço Patrimonial [Atualizado 2024]

Imagem de Sanon Matias

Com certeza você já ouviu falar em balanço patrimonial. Ele é um documento muito importante que auxilia as empresas, de qualquer tamanho, na sua gestão.

Além disso, serve de apoio para todo negócio poder melhorar sua tomada de decisão e administração financeira.

Então, neste post, vamos explicar detalhadamente o que é, qual a sua estrutura, os cálculos que fazem parte, como analisar e mais dicas! Acompanhe e saiba como simplificar esse processo em seu negócio!

Mas, antes de continuarmos, eu já adianto uma dica para a sua gestão: conte com a tecnologia para melhorar seus resultados.

Com o ERP WebMais, você tem os dados necessários para montar o balanço patrimonial, além de diversos outros documentos essenciais para seu negócio. Conheça o sistema e saiba mais.

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que É Balanço Patrimonial?

O balanço patrimonial é um documento contábil, como a DRE, que informa a situação de todo patrimônio de uma empresa. Isso inclui seus bens, direitos e obrigações, além de investimentos e fontes de recursos.

Então, com esse relatório, é possível entender melhor a posição financeira do negócio em um determinado período. Para isso, são apurados todos os registros do empreendimento, ou seja, todos os fatos contábeis que constam no livro diário da empresa.

Qual É O Objetivo Do Balanço Patrimonial?

Em resumo, o objetivo do balanço patrimonial é fornecer uma visão clara e precisa da situação financeira de uma empresa em um determinado momento.

Ele ajuda a compreender a composição dos ativos, passivos e patrimônio líquido, permitindo avaliar a liquidez, solvência e rentabilidade do negócio. Assim, é uma ferramenta fundamental para a análise e tomada de decisões estratégicas.

Além disso, o balanço patrimonial é uma importante ferramenta para credores, investidores e outros stakeholders. Ele fornece informações sobre a capacidade da empresa de honrar suas obrigações e gerar lucros.

Para Que Serve O Balanço Patrimonial De Uma Empresa?

Além de ser uma obrigação prevista pelo Código Civil para grande parte das empresas, o balanço patrimonial é de extrema utilidade.

Mesmo que sua empresa seja pequena, esse levantamento ajuda a enxergar com mais clareza, precisão e transparência a situação financeira dela. Assim, é possível garantir melhores condições para gerenciar um negócio.

Em resumo, o balanço patrimonial tem como principal função fornecer um quadro preciso da contabilidade e situação financeira da empresa em um certo período. E esse balanço é feito geralmente sobre o período de um ano.

Ele é considerado uma das principais declarações financeiras de uma empresa e deve ser produzido de maneira precisa e rigorosa. A ideia é possibilitar um controle eficiente de patrimônio.

A partir do relatório, é possível visualizar com clareza as entradas e saídas de dinheiro, das seguintes formas:

  • indicando o momento da empresa;
  • identificando a capacidade de endividamento, lucratividade, crescimento e investimentos;
  • facilitando a tomada de decisões e criação de planos certeiros baseados em dados.

Além disso, ele também é muito utilizado para fazer o planejamento estratégico das empresas.

Qual A Importância Do Balanço Patrimonial?

O balanço patrimonial é um relatório de grande importância para a gestão de uma empresa.

Primeiramente, ele é essencial para desempenhar as suas atividades em conformidade com a legislação. Mas, além disso, também pode servir como base para uma análise sobre a saúde financeira.

O balanço patrimonial ajuda com:

- Atuar dentro da lei
- Análise da saúde financeira
- Decisões mais inteligentes
- Mais controle sobre as finanças

A partir disso, é possível tomar decisões mais inteligentes sobre o negócio. Afinal, o documento indica se a empresa está tendo um resultado positivo ou negativo.

Esse é o ponto de partida para uma série de decisões que podem ser tomadas, a depender do resultado.

O gestor pode decidir, por exemplo, que é necessário cortar alguns custos para equilibrar as contas. Também é possível apontar o momento de fazer novos investimentos, como contratar novas pessoas, comprar novas máquinas etc.

Como vimos, algumas empresas devem elaborar o balanço patrimonial anualmente. Já outras trimestralmente. Mas a gestão não precisa se prender a essa periodicidade.

Isso porque aquelas empresas que desejam ter maior controle sobre as suas finanças podem elaborar o documento com mais frequência.

Como Funciona O Balanço Patrimonial?

O balanço patrimonial tem uma estrutura simples, com apenas três informações principais: ativos, passivos e patrimônio líquido.

Então, na prática, ele tem um formato de tabela, com duas colunas. Na esquerda, ficam os ativos, que são os bens e direitos. Já na direita, ficam os passivos e as obrigações relativas ao patrimônio líquido.

Por conta dessa estrutura de tabela, a análise do balanço patrimonial é bem objetiva, dando ao gestor um resumo sobre a saúde financeira da empresa. Mas, mesmo assim, ele traz informações que podem ser valiosas para a tomada de decisão.

Quais As Vantagens De Se Utilizar O Balanço Patrimonial?

A principal vantagem de utilizar o balanço patrimonial é ter uma visão realista sobre a saúde financeira da empresa sem precisar analisar grandes relatórios.

Em outras palavras, o balanço patrimonial oferece um panorama sobre o que está acontecendo com as finanças.

Assim, a gestão pode tomar decisões com base em dados, entendendo qual o melhor momento para segurar os gastos ou fazer novos investimentos.

A partir do documento, o gestor também pode escolher alguns aspectos da gestão financeira para aprofundar a sua análise. Isso porque ele vai saber quais pontos precisam de maior controle para a empresa ter uma vida financeira saudável.

Por exemplo, se tiver uma boa situação de caixa, pode ser o momento ideal para expandir ou adquirir ativos adicionais. Se estiver altamente alavancada, talvez seja necessário focar em reduzir dívidas.

Além disso, é possível elaborar planos de orçamento e financeiros mais precisos, definindo metas realistas e alocando recursos de forma eficiente.

O balanço patrimonial facilita sua gestão financeira

Quando Fazer Um Balanço Patrimonial?

Devido à sua importância, o balanço patrimonial é umas das principais declarações financeiras feitas pela empresa.

Ele deve ser realizado um controle minucioso das informações. O ideal é que, durante a produção do balanço patrimonial, todas as informações constem, de forma detalhada, no controle anual.

Para saber o momento ideal para fazer o balanço patrimonial, existem alguns fatores a serem considerados. Falaremos mais sobre eles ainda nesse texto.

Fim Do Exercício Social

Tradicionalmente, as empresas costumam elaborar um balanço patrimonial no final de cada exercício social, que geralmente é de um ano. Essa é uma prática comum e exigida por regulamentos contábeis e fiscais.

Fusões E Aquisições

Quando uma empresa está envolvida em fusões ou aquisições, é comum realizar um balanço patrimonial para avaliar a situação financeira das empresas envolvidas. O foco é determinar o valor e os ativos de cada uma e negociar os termos do negócio.

Mudanças De Estrutura Societária

Quando ocorrem alterações na estrutura societária de uma organização, pode ser necessário elaborar um balanço patrimonial para refletir essas mudanças e ser transparente.

Alguns exemplos incluem a entrada de novos acionistas, compra de ações ou mudanças significativas na participação acionária.

Necessidades Internas De Gestão

Além das situações mencionadas acima, é possível optar por elaborar balanços patrimoniais em momentos específicos para fins de gestão interna.

Essa ação pode ser feita para avaliar o desempenho financeiro, tomar decisões estratégicas, planejar investimentos ou monitorar o cumprimento de metas financeiras.

O Que Analisar Em Um Balanço Patrimonial?

Uma das vantagens do balanço patrimonial é a possibilidade de fazer diferentes análises. Só a maneira como esse relatório é montado já gera uma resposta rápida se a sua empresa conseguirá, ou não, quitar os compromissos assumidos.

Se houver emergências, o balanço patrimonial vê se há reservas para contingências que podem ser usadas para cobrir despesas inesperadas ou crises.

Além disso, ajuda a determinar a proporção de capital próprio (patrimônio líquido) em relação ao capital de terceiros (passivos). Dessa forma, é possível entender como a empresa financia suas operações e se a alavancagem financeira é adequada.

Caso compare os balanços patrimoniais de diferentes períodos, é viável identificar tendências e mudanças ao longo do tempo, para avaliar o desempenho financeiro.

Ou seja, é possível fazer diversas análises tendo como base o balanço patrimonial. Uma das melhores é se a quantidade de passivos do período podem ser prejudiciais ao crescimento financeiro da sua empresa.

Qual A Estrutura De Um Balanço Patrimonial?

Basicamente, o balanço patrimonial relata os ativos, passivos e o patrimônio líquido da empresa em um determinado período.

Estrutura do balanço patrimonial

Veja mais sobre cada um deles a seguir.

Ativos

Os ativos no balanço patrimonial são tudo o que sua empresa possui de valor que pode ser convertido em dinheiro.

O relatório contábil listará os ativos em ordem de liquidez, ou seja, o quão facilmente eles são convertíveis em dinheiro. Dentro dos ativos há duas categorias:

  • Ativos Circulantes: podem ser convertidos em dinheiro em um curto prazo. Exemplos incluem caixa, contas a receber, estoque, títulos negociáveis, etc;
  • Ativos de Longo Prazo: esses não podem ser convertidos em dinheiro a longo prazo. Incluem ativos fixos (propriedade, edifícios, máquinas e equipamentos), e ativos intangíveis, que não são objetos físicos, como contratos de franquia e patentes.

Passivos

Os passivos de uma empresa são as responsabilidades financeiras que ela tem, incluindo despesas recorrentes, pagamentos de empréstimos e outras formas de dívida.

Assim como os ativos, os passivos também se subdividem em duas categorias:

  • Passivo Circulante: aluguel, pagamentos de juros e folha de pagamento, impostos, entre outros;
  • Passivo Não Circulante: empréstimos de longo prazo e impostos de renda diferidos. Também inclui todas as obrigações que devem ser pagas em um prazo superior a 12 meses.

Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido é resultante da diferença entre o total de ativos e o total de passivos. Ele refere-se à quantidade de dinheiro gerada por uma empresa; a quantidade de dinheiro colocada na empresa por seus proprietários (ou acionistas).

A relação desses itens é expressa em uma equação, a qual ensinaremos a seguir.

Veja melhor no quadro abaixo:

O valor total do ativo obrigatoriamente deverá ser igual ao valor total do passivo somado ao patrimônio líquido. Mas, caso isso não aconteça, é preciso voltar e procurar onde está o erro.

Quais Os Tipos De Balanço Patrimonial?

Existem dois tipos principais de balanço patrimonial: o balanço patrimonial vertical e o balanço patrimonial horizontal.

O balanço patrimonial vertical apresenta os valores dos ativos, passivos e patrimônio líquido como uma porcentagem do total dos ativos. Isso permite uma análise da estrutura financeira da empresa e a identificação de tendências ao longo do tempo.

A vantagem dele é que permite uma comparação rápida e fácil da importância relativa das diferentes contas do balanço.

Vamos exemplificar: imagine que o balanço patrimonial de uma empresa mostra que o valor dos ativos circulantes é de 50% do total do balanço.

Isso significa que os ativos circulantes são mais importantes do que os ativos não circulantes.

Já o balanço patrimonial horizontal mostra os valores dos ativos, passivos e patrimônio líquido em diferentes períodos, geralmente em colunas adjacentes. Isso permite uma comparação direta e uma análise das mudanças ocorridas ao longo do tempo.

O benefício desse tipo é a possibilidade de identificar tendências no desempenho financeiro.

Por exemplo, se apontar que o valor dos ativos circulantes aumentou em 20% no período atual em relação ao período anterior, isso pode indicar o crescimento e investimento em seu negócio.

Tipos de balanço patrimonial

Ambos os tipos de balanço patrimonial são úteis para avaliar a saúde financeira de uma empresa e fornecer informações valiosas para análise e planejamento financeiro.

Os 3 Principais Tipos

Além deles, há outros três tipos principais de balanço patrimonial, cada um deles fornece informações específicas sobre a situação financeira de um negócio:

Balanço Patrimonial Ativo

Lista todos os recursos controlados com valor econômico e do qual se espera que resultem em benefícios futuros.

São classificados em ordem de liquidez, começando pelos ativos mais líquidos, como caixa e equivalentes de caixa, e avançando para ativos menos líquidos, como estoques e investimentos a longo prazo.

Balanço Patrimonial Passivo

Mostra todas as dívidas e compromissos financeiros devidos a terceiros. É classificado em ordem de vencimento, começando com as obrigações de curto prazo, como contas a pagar e empréstimos de curto prazo.

Além disso, avança para as obrigações de longo prazo, como empréstimos de longo prazo e debêntures.

Balanço Patrimonial Patrimônio Líquido

Mostra o valor contábil dos recursos próprios dos proprietários e é uma medida da saúde financeira. É composto pelo capital social, reservas de lucros, prejuízos acumulados e outros elementos que refletem os investimentos dos acionistas.

Como Fazer O Balanço Patrimonial Da Sua Empresa Em 5 Etapas?

Criar o balanço patrimonial do próprio negócio realmente não é uma tarefa muito fácil. Mas, se você chegou até aqui, já tem as informações necessárias para conseguir desenvolver seu relatório contábil.

Veja os passos principais para montar seu balanço patrimonial:

1 – Determine Um Período

Como você já sabe, o balanço patrimonial mostra a situação financeira da empresa em um período específico. Assim, o primeiro passo é determinar a data do relatório.

Em geral, o balanço patrimonial é sempre elaborado a cada 12 meses. Empresas de capital aberto, por exemplo, fazem a cada três meses.

2 – Pontue Seus Ativos

Com a data definida, você precisa considerar e contabilizar todos seus ativos dentro desse período.

Para facilitar a análise, considere listar os ativos como individuais e ativos totais.

É muito mais complexo entender o relatório quando os ativos são divididos em diferentes itens de linha.

Dois grupos dividem os ativos: 

Ativos Circulantes:

  • caixa e equivalentes de caixa;
  • contas a receber;
  • títulos negociáveis de curto prazo;
  • outros.

Ativos Não Circulantes:

  • títulos negociáveis ​​de longo prazo;
  • ativos intangíveis;
  • propriedade;
  • outros.

Ambos, ativos circulantes e não circulantes, devem ser subtotalizados e somados.

3 – Pontue Seus Passivos

Identifique quais são as obrigações da empresa com terceiros. Também são divididos em dois grupos, assim como os ativos.

Passivos Circulantes:

  • aluguel;
  • pagamentos de juros;
  • despesas acumuladas;
  • outros.

Passivos Não Circulantes:

  • empréstimos de longo prazo;
  • impostos de renda diferidos;
  • dívidas de longo prazo;
  • outros.

Assim como os ativos de sua empresa, os passivos precisam ser subtotalizados e depois somados.

4 – Calcule o Patrimônio Líquido

Nesta etapa você precisa listar as contas que apontam o valor contábil da sua empresa. Para ser mais simples, considere, por exemplo, capital social, lucros acumulados, fluxo de caixa, entre outros.

A empresa é privada? Se for de um único proprietário, será mais simples calcular o patrimônio líquido.

Agora, se estamos falando de uma empresa de capital aberto, esse cálculo poderá ficar mais complicado. Veja alguns exemplos de patrimônio líquido abaixo:

  • capital social;
  • reservas de capital;
  • reservas de lucros;
  • ações em tesouraria;
  • outros.

5 – Compare o Total do Passivo e do Patrimônio Líquido Com os Ativos

Com a equação do balanço patrimonial, é esperado um equilíbrio entre os ativos e o montante de passivos.

Mas, para isso, é preciso montar o relatório assim:

como comparar e equilibrar ativos e montantes passivos

Do lado esquerdo, temos os ativos. Já do lado direito, estão os passivos e o patrimônio líquido.

Os valores são sempre agrupados em contas e a sua ordem é determinada pela situação de liquidez. Isso porque, dessa forma, fica mais fácil analisar o relatório.

Como Calcular O Capital Próprio No Balanço Patrimonial?

O capital próprio é a diferença entre os ativos totais e os passivos totais. Ele representa o valor dos recursos que os sócios ou acionistas investiram na empresa, bem como os lucros acumulados ao longo do tempo.

A fórmula para calcular o capital próprio é a seguinte:

Capital próprio = Ativos totais – Passivos totais

Por exemplo, se uma indústria tem ativos totais no valor de R$ 100.000 e passivos totais no valor de R$ 60.000, então o capital próprio é de R$ 40.000.

O capital próprio é uma informação importante para a gestão financeira. Ele representa o valor do patrimônio que pertence aos sócios ou acionistas. Além disso, é utilizado para calcular indicadores financeiros, como o endividamento e a rentabilidade.

Como Calcular Patrimônio Líquido No Balanço Patrimonial?

Para calcular o patrimônio líquido no balanço patrimonial, você precisa subtrair o total de passivos do total de ativos. A fórmula básica é:

Patrimônio Líquido = Total de Ativos – Total de Passivos 

Por exemplo, se uma distribuidora tem ativos totais no valor de R$ 240.000 e passivos totais no valor de R$ 70.000. Então, o patrimônio líquido dessa empresa é de R$ 170.000.

O total de ativos inclui todos os recursos financeiros e bens da empresa, como caixa, contas a receber, estoques, imóveis, entre outros. Já o total de passivos engloba as obrigações e dívidas da empresa, como contas a pagar, empréstimos, financiamentos, entre outros.

Ao subtrair os passivos do total de ativos, você obtém o valor do patrimônio líquido, que representa a parte dos ativos da empresa que pertence aos acionistas ou proprietários.

Esse valor reflete o valor líquido dos ativos após a dedução de todas as obrigações. Em outras palavras, é o valor residual que seria deixado para os proprietários se todos os ativos fossem vendidos e todas as dívidas pagas.

BANNER Gestão financeira completa, simplificada e eficiente, só com o ERP WebMais

Como Fazer A Análise De Balanço Patrimonial?

A análise de balanço patrimonial envolve a avaliação dos componentes do balanço para compreender a saúde financeira e a situação da empresa. Ela é realizada a partir da análise dos dados apresentados no balanço patrimonial.

Avalie a estrutura e a composição dos ativos

Analise diferentes tipos de ativos, como caixa, contas a receber, estoques e investimentos. A empresa possui uma base sólida de ativos? Estão equilibrados?

Analise os passivos

Examine os passivos, como contas a pagar, empréstimos e obrigações fiscais. Verifique se a empresa possui um nível sustentável de endividamento e se consegue cumprir obrigações.

Calcule os índices financeiros

Obtenha uma visão mais detalhada da situação financeira da empresa e sua capacidade de gerar lucros com base em índices como:

  • Liquidez: o índice de liquidez corrente e o de liquidez imediata medem a capacidade de cumprir suas obrigações de curto prazo;
  • Endividamento: a relação dívida/patrimônio líquido avalia o nível de endividamento;
  • Rentabilidade: o retorno sobre o patrimônio líquido e o retorno sobre o investimento medem o desempenho financeiro;
  • Eficiência operacional: a rotatividade de ativos avalia a eficiência operacional;
  • Cobertura de Juros: a razão de cobertura de juros avalia a capacidade de pagar seus juros sobre a dívida.

Compare com períodos anteriores e com o setor

Faça comparações com os balanços anteriores da empresa para identificar tendências e mudanças. Além disso, compare os números com os do setor em que a empresa atua para avaliar seu desempenho relativo.

Identifique pontos fortes e fracos

Com base na análise, identifique os pontos fortes da empresa, como boa liquidez ou rentabilidade. Além disso, veja as fraquezas, como altos níveis de endividamento ou baixa eficiência operacional.

Tome decisões informadas

Utilize os insights obtidos na análise para tomar decisões informadas sobre investimentos, financiamentos, estratégias de crescimento e melhorias nas operações financeiras da empresa.

Lembrando que a análise de balanço patrimonial deve ser feita em conjunto com outras informações e métricas financeiras. A ideia é obter uma visão abrangente da saúde financeira e desempenho da empresa.

Principais Indicadores De Um Balanço Patrimonial E Como Calcular?

O cálculo é muito simples. Para obter o resultado, basta aplicar a seguinte fórmula:

Indicadores De Rentabilidade/Renda

O cálculo de rentabilidade ajuda a verificar o quanto renderam os investimentos, ou seja, se o negócio dá lucro ou não.

  • Giro de Ativos = Vendas /Ativo Total
  • Retorno sobre os Ativos = Lucro Líquido /Ativo Total
  • Retorno sobre o Patrimônio Líquido = Lucro Líquido /Patrimônio Líquido
Gestor investigando os 3 principais indicadores do balanço patrimonial

Indicadores De Liquidez

Todos os Indicadores de Liquidez têm o mesmo objetivo: analisar a relação do negócio entre o seu capital e as suas dívidas.

  • Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante
  • Liquidez Seca = (Ativos Circulantes – Estoques) / Passivos Circulantes
  • Liquidez Geral = (Ativos Circulantes + Realizáveis a Longo Prazo) / (Passivo Circulantes + Exigível a Longo Prazo)
  • Liquidez Imediata = Disponível /Passivos Circulantes

Indicadores De Endividamento/Dívidas

O cálculo dos Indicadores de Endividamento servem para medir ou verificar o quanto um negócio possui de dívida sobre o valor de patrimônio e ativos.

  • Endividamento = Passivo Total /Ativo Total
  • Grau de Endividamento = Passivo / Patrimônio Líquido

Outras Análises Possíveis Pelo Balanço Patrimonial

Até aqui, você já sabe que o balanço patrimonial é um dos principais demonstrativos financeiros de uma empresa. Ele fornece uma visão geral do patrimônio.

Mas além da análise estrutural e financeira, ele pode ser usado para realizar outras avaliações importantes, como:

  • Análise da liquidez: avalia a capacidade da empresa de cumprir suas obrigações de curto prazo, para verificar a solvência e a saúde financeira do negócio;
  • Análise da rentabilidade: mostra como a empresa gera lucros a partir de seus ativos e investimentos, apontando o desempenho financeiro e a eficiência operacional;
  • Análise da estrutura de capital: permite compreender a proporção entre o capital próprio e o capital de terceiros, facilitando o entendimento da estrutura de financiamento da empresa e sua dependência de recursos externos;
  • Análise da gestão de estoques: avalia a eficiência na gestão de inventário, observando a composição e a rotação dos estoques. Assim, revela possíveis problemas de obsolescência ou falta de estoque;
  • Análise do ciclo operacional: mede o tempo médio que a empresa leva para converter estoques em vendas e receber os pagamentos dos clientes. A partir disso, indica a eficiência do ciclo operacional da empresa e sua capacidade de gerar fluxo de caixa.

Essas são apenas algumas das análises possíveis usando o balanço patrimonial, e a escolha depende dos objetivos específicos da avaliação e das necessidades do estabelecimento.

Exemplo de Balanço Patrimonial

Quer ver como o balanço patrimonial funciona na prática? A seguir, trazemos alguns exemplos da demonstração:

tabela com exemplo de balanço patrimonial de uma empresa

Na imagem temos um exemplo de balanço patrimonial vertical, dividido em duas colunas, uma para os ativos e outra para os passivos e patrimônio líquido.

Os ativos são divididos em dois grupos: ativos circulantes e não circulantes. Os passivos também são categorizados em circulantes e não circulantes. E o patrimônio líquido com a diferença entre ambos.

No exemplo, os ativos totais são de R$ 1.730.692. Os passivos totais são de R$ 576.827. O patrimônio líquido é de R$ 1.153.865.

Deles, os ativos circulantes representam 65,2% do total dos ativos, sendo os principais contas a receber (R$ 283.071,00), estoques (R$ 271.321) e impostos a recuperar (R$ 124.430).

Já os ativos não circulantes representam 34,8% do total, englobando os imobilizados (R$ 669.467) e investimentos de longo prazo (R$ 453.891).

Os passivos circulantes envolvem 91,9% do total, incluindo contas a pagar (R$ 552.654), empréstimos e financiamentos (R$ 292.424) e impostos a pagar (R$ 110.805).

Por outro lado, os não circulantes representam 8,1% do total, envolvendo empréstimos e financiamentos (R$ 84.198).

Quanto ao patrimônio líquido, há 43,1% do total do balanço.

Assim, a análise permite concluir que a empresa possui mais ativos do que passivos, o que é um sinal positivo. No entanto, também possui um alto percentual de passivos circulantes, o que pode indicar futuros problemas de liquidez no curto prazo.

Isso tudo, claro, referente ao patrimônio líquido que é relativamente baixo e indica a dependência de financiamentos de terceiros.

Principais Dúvidas Sobre Balanço Patrimonial

Tem dúvidas sobre o balanço patrimonial? Separamos as principais respostas para ajudar você a entender ainda melhor o que ele é e qual a sua importância para a empresa.

Qual A Diferença Entre Balanço Patrimonial E DRE?

A DRE, ou Demonstração de Resultado do Exercício, é um documento contábil que mostra o lucro da empresa em um determinado período. Ele também indica como o lucro foi formado, a partir do registro dos ganhos e despesas de uma empresa.

Já o balanço patrimonial é uma demonstração mais simples, que traz apenas os ativos, passivos e patrimônio líquido da empresa, sem indicar como eles foram formados.

Outra diferença é que a DRE é um documento que se refere a um determinado período – normalmente um ano.

O balanço patrimonial, por sua vez, mostra como está a situação financeira da empresa em uma determinada data, mas considerando os resultados de toda a sua história.

Balanço patrimonial e DRE são iguais?

Sendo assim, as duas podem ter resultados diferentes. Afinal, mesmo que a DRE indique que a empresa teve prejuízo no ano, o balanço patrimonial ainda pode indicar lucro. É que ele considera a operação da empresa desde a sua fundação.

Onde Vai O CMV No Balanço Patrimonial?

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o CMV, ou Custo das Mercadorias Vendidas, não é um item que deve estar presente no balanço patrimonial. Na verdade, ele deve constar na DRE, por isso algumas pessoas se confundem.

É Possível Fazer O Balanço Patrimonial No Excel?

Sim, é possível fazer o balanço patrimonial no Excel ou em qualquer outro software de planilhas. Essa é uma forma muito comum de criar essa demonstração, mas não é a mais vantajosa.

Afinal, oferece riscos de erros humanos, o que pode levar a dados imprecisos no balanço patrimonial, trazendo consequências. Também é difícil atualizar as informações em tempo real e integrar com outros sistemas.

O ideal é contar com um sistema ERP completo, que automatize diversas tarefas e organize as informações que fazem parte do documento.

Assim, além de ter à mão todos os dados importantes, a confecção do relatório é mais rápida e mais segura, além de ter menos incidência de erros.

Esse software automatiza diversas tarefas relacionadas à gestão financeira, incluindo a geração do balanço patrimonial. Ainda, organiza os dados em um único lugar e permite integração com outras ferramentas de gestão para obter os números corretos.

Como Elaborar O Relatório Contábil?

Elaborar um relatório contábil eficiente é importante para empresas de todos os tamanhos. Ele fornece informações financeiras claras e completas, ajudando gestores e acionistas a tomar decisões informadas.

Para isso, é preciso coletar dados precisos, seguir as normas contábeis e organizar o relatório de forma clara.

A análise dos resultados e as notas explicativas também são fundamentais. Revisar tudo antes de apresentar é essencial. É recomendado contar com profissionais experientes para garantir a precisão e conformidade do relatório.

O Registro Contábil É Obrigatório?

O registro contábil é obrigatório para todas as empresas. Trata-se da prática de manter um registro sistemático e organizado de todas as transações financeiras de uma empresa. E é claro, incluindo compras, vendas, pagamentos, recebimentos e outras atividades financeiras.

A obrigatoriedade do registro contábil decorre da necessidade de fornecer informações financeiras precisas e confiáveis para fins de prestação de contas, tomada de decisões, auditorias e conformidade legal.

Os registros contábeis são a base para a elaboração de demonstrações financeiras, como o balanço patrimonial, a demonstração de resultados e a demonstração de fluxo de caixa. 

Portanto, o registro contábil é uma prática obrigatória e fundamental para todas as empresas, independentemente do seu tamanho ou atividade.

O registro contábil é obrigatório para todas as empresas!

Manter registros contábeis precisos e atualizados é essencial para garantir a saúde financeira da empresa. Além disso, também ajuda a cumprir com as obrigações legais e fornecer informações confiáveis aos diversos usuários das demonstrações financeiras.

O Que Acontece Quando A Empresa Não Tem O Balanço Contábil E Seus Livros?

Quando uma empresa não possui o balanço contábil e seus livros de registro, pode ter diversas consequências negativas.

Isso porque a falta de registros contábeis adequados pode levar a problemas legais, financeiros e operacionais significativos. Veja possíveis situações:

Consequências legais

A ausência de registros contábeis causa problemas legais, principalmente sobre conformidade fiscal e regulatória. Autoridades fiscais podem impor multas e penalidades por falta de registros adequados.

A empresa pode enfrentar auditorias fiscais mais rigorosas pela falta de transparência em suas atividades financeiras.

Dificuldades na tomada de decisões

A falta de registros contábeis adequados gera dificuldades em obter informações financeiras precisas e atualizadas.

Isso afeta negativamente a capacidade de tomar decisões estratégicas informadas, como planejamento financeiro, investimentos e expansão de negócios.

Perda de oportunidades de financiamento

Instituições financeiras e investidores exigem informações contábeis atualizadas e precisas antes de financiar ou investir.

Assim, a empresa pode perder oportunidades de obter financiamento para o crescimento ou enfrentar dificuldades em convencer os investidores sobre a viabilidade do negócio.

Dificuldades na avaliação do desempenho

Os registros contábeis são fundamentais para avaliar o desempenho financeiro da empresa ao longo do tempo. Isso porque, sem eles, é difícil medir lucratividade, solvência, eficiência operacional e outros indicadores financeiros essenciais.

Isso prejudica a capacidade de identificar problemas e implementar estratégias de melhoria.

Problemas de conformidade e auditoria

A falta de registros contábeis resulta em problemas de conformidade com leis e regulamentos contábeis.

Isso pode levar a auditorias mais intensas e demoradas, além de aumentar o risco de descobertas adversas que geram penalidades financeiras e danos à reputação da empresa.

Como Um Software De Gestão Contábil Pode Ajudar?

Um software de gestão contábil pode ser uma ferramenta extremamente útil para empresas. Isso porque oferece uma série de benefícios e facilita o gerenciamento das atividades contábeis.

Ele automatiza tarefas repetitivas, como lançamento de dados, cálculos e conciliações bancárias. Além disso, ajuda a organizar e centralizar informações financeiras, permitindo acesso rápido a dados relevantes.

Integrado a outros sistemas da empresa, o software contábil evita retrabalho e garante a consistência dos dados. Ele também ajuda na conformidade com normas contábeis e regulatórias, automatizando regras contábeis e cálculos fiscais.

Com recursos avançados de análise e relatórios personalizados, possibilita uma análise profunda do desempenho financeiro.

Com a mobilidade proporcionada pela tecnologia em nuvem, o acesso remoto às informações contábeis é facilitado. Assim, empresas com filiais ou equipes remotas podem gerenciar suas atividades contábeis de forma flexível.

Implementar um software de gestão contábil adequado às necessidades da empresa melhora a eficiência, precisão e produtividade do departamento contábil.

Isso contribui para uma gestão financeira mais eficaz e informada, além de oferecer maior controle sobre as atividades contábeis e reduzir o risco de erros e não conformidades.

Em suma, um software de gestão contábil traz benefícios como automação de tarefas, organização de informações, integração com outros sistemas, controle de conformidade, análise avançada e mobilidade.

Ele se torna uma ferramenta essencial para empresas que desejam otimizar suas operações contábeis. Além disso, também ajuda a garantir a conformidade legal e tomar decisões estratégicas com base em informações financeiras precisas e atualizadas.

O ERP WebMais é uma excelente solução para experimentar na sua empresa e obter todas essas vantagens no dia a dia.

BANNER Conheça o ERP WebMais e gerencie seu financeiro com eficiência!

Conclusão

O balanço patrimonial é uma das demonstrações principais de uma empresa. Esse relatório inclui informações completas sobre os ativos, passivos e patrimônio líquido da empresa.

Com isso, é possível usar essas informações para o desempenho de análises de liquidez, sustentabilidade financeira e outros tipos de indicadores. Com isso, é possível medir o desempenho e a posição da empresa.

No fim, para cada balanço, os ativos da empresa devem ser iguais às suas fontes de financiamento (passivos mais patrimônio líquido).

Achou confuso?

Então saiba que o ERP WebMais facilita a sua gestão financeira. Com o balanço patrimonial e outros documentos e relatórios, você terá controle total da sua indústria ou distribuidora, tomando decisões mais assertivas. Agende uma demonstração e conheça a ferramenta.

Deixe um comentário