Guia atualizado sobre custos diretos e indiretos

Confira Um Guia Completo Sobre Custo Direto E Indireto + Exemplos

Imagem de Sanon Matias

O custo direto e indireto não podem ser negligenciados de nenhuma forma em qualquer empresa. Eles são aqueles que estão ligados à produção de uma empresa, direta ou indiretamente.

Conhecê-los e administrá-los é fundamental para a saúde financeira do negócio, pois isso favorece uma gestão com base em dados e permite a redução de gastos desnecessários.

Então, neste artigo, você entenderá o que são custos diretos e qual a sua diferença em relação aos custos indiretos, fixos e variáveis. Continue lendo para saber mais!

Depois de ler o artigo, agende uma demonstração gratuita do ERP WebMais e entenda como o Centro de Custos facilita a sua gestão financeira. Nosso time de especialistas está pronto para te atender.

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que São Custos Diretos?

Primeiramente, para entender um pouco mais sobre o custo direto e indireto, vamos começar com seus conceitos. O custo direto é aquele diretamente ligado à produção e, por isso, pode ser facilmente atribuído

Eles podem ser facilmente calculados de forma objetiva pelo empresário, com uma proporcionalidade predefinida no produto final.

Exemplo De Custos Diretos

Você sabe que o custo indireto é aquele que permite a operação do negócio. Ou seja, sem ele, não seria possível manter a empresa em funcionamento.

Aqui, estamos falando de aquisição de matérias-primas, aluguel do espaço no qual a empresa funciona, remuneração dos funcionários que atuam na produção, embalagem, entre outras coisas.

Sabia que o ERP WebMais fortalece toda a sua gestão financeira? Isso porque nosso módulo financeiro traz diversas ferramentas, como emissão de recibos, fluxo de caixa e muito mais. Experimente agora.

Quais São Os Tipos De Custos?

Além do custo direto e indireto, existem outras classificações que os custos de uma empresa podem receber. De modo geral, eles são separados em custo direto e indireto e em fixos e variáveis.

Para um custo direto e indireto ter essa classificação, é preciso analisar a facilidade da sua atribuição de valor.

Por outro lado, os custos fixos e variáveis se diferem de acordo com as alterações que podem sofrer ao longo do tempo.

Vamos entender um pouco mais sobre cada um a seguir.

Custo direto

Na prática, o custo direto é aquele essencial para que a fabricação se mantenha e, por isso, é mais fácil atribuir valor a ele.

Alguns exemplos são a matéria-prima utilizada na fabricação de um produto, a mão de obra direta envolvida na produção, embalagens específicas para um produto, entre outros.

Custo indireto

Já os custos indiretos, apesar de importantes, não são essenciais para a operação e não podem ser facilmente atribuídos a um produto ou serviço específico, pois estão relacionados a várias atividades da empresa como um todo.

Podemos citar o aluguel da fábrica ou escritório, salários dos supervisores de produção, despesas com manutenção de equipamentos compartilhados, entre outros.

Custo Fixo

Um custo fixo terá sempre o mesmo valor, como é o caso do aluguel do espaço onde a empresa funciona. Mas, também sabemos que esse valor pode aumentar de um ano para o outro, mesmo não variando de acordo com o volume de produção.

Eles não variam proporcionalmente com o aumento ou diminuição da produção ou vendas. Outros exemplos são salários dos funcionários administrativos, depreciação de equipamentos, seguro empresarial, entre outros.

Custo Variável

Já os custos variáveis são aqueles que dependem diretamente do volume de produção. Quanto mais se produz, mais matéria-prima se compra. Então, esse é um exemplo muito claro de um custo variável.

Quais são os tipos de custo de uma empresa?

Em outras palavras, para exemplificar esse tipo de custo é possível usar comissões de vendas, embalagens utilizadas na produção, gastos com energia elétrica, entre outras.

Como Calcular O Custo Direto?

Para compreender de vez como chegar no custo direto e indireto, vamos aprender suas fórmulas.

Primeiramente, para calcular o custo direto de um determinado produto, é preciso analisar duas frentes. Uma delas é relacionada ao consumo de materiais e, a outra, ao tempo gasto por cada funcionário na produção.

Com esses dados em mãos, você deve somá-los e dividir pelo número de produtos produzidos em um determinado período. Ou seja:

Custo Direto = (gastos com compra de matéria-prima + custo da mão de obra) / quantidade de produtos fabricados

Além disso, não se esqueça de que todos esses valores devem corresponder a um mesmo período. Se você está usando a quantidade de produtos fabricados em um mês, some os valores gastos com materiais e mão de obra nesse mesmo período.

Qual A Importância Dos Custos Diretos?

O gestor que conhece bem o seu custo direto e indireto consegue ter uma visão mais ampla e realista sobre a sua operação. Dessa forma, pode direcionar todo o planejamento financeiro de forma mais estratégica.

O conhecimento sobre os custos também é fundamental para a precificação correta dos produtos a serem comercializados. A definição precisa dos preços garante que o valor praticado seja suficiente para cobrir os custos e obter lucro.

Por fim, não podemos deixar de falar sobre previsibilidade. O gestor que sabe exatamente qual é o seu custo direto e indireto de cada produto consegue fazer previsões mais certeiras e planejar o futuro de maneira mais acertada. Isso contribui para uma boa saúde financeira.

Qual A Diferença Entre Custos E Despesas?

Como você sabe, o custo direto e indireto são aqueles gastos diretamente relacionados à operação do negócio. As despesas, por sua vez, são os gastos administrativos. 

Quer um exemplo? 

Em uma fábrica, o custo direto e indireto são todas essas coisas que já citamos aqui – compra de materiais, remuneração da mão de obra, aluguel do espaço, embalagens etc. Já as despesas estão relacionadas à administração. 

Alguns exemplos são a compra de materiais de escritório, investimento em publicidade e divulgação, remuneração das pessoas que atuam na administração, etc.

O Que São Gastos?

Os gastos são todos os valores que saem do caixa de uma empresa, independentemente do motivo ou do seu destino. Ou seja, tanto as despesas como custo direto e indireto são considerados gastos!

Os gastos são importantes para a contabilidade de uma empresa, pois eles permitem que os gestores tenham uma visão clara dos custos e despesas da empresa, o que é essencial para a tomada de decisões estratégicas.

Mas, é importante ressaltar que, embora os gastos sejam importantes, é preciso controlá-los para evitar que eles impactem negativamente a lucratividade do negócio.

BANNER Que tal experimentar um software com centro de custos preparado para sua gestão de gastos?

Qual A Diferença Entre Custos Diretos E Indiretos?

A principal diferença entre custos diretos e indiretos é a relação com o produto ou serviço produzido.

Como você viu, o custo direto e indireto tem diferenças. Basicamente, os custos indiretos são aqueles que contribuem para a fabricação do produto, mas não são indispensáveis para a operação da empresa.

Alguns exemplos são gastos com perdas de produtos, falha no transporte e depreciação.

Em alguns casos, a classificação de um custo como direto ou indireto pode ser subjetiva. Por exemplo, a energia elétrica utilizada na produção pode ser considerada um custo direto, mas também pode ser considerada um custo indireto.

Nesse caso, a decisão de como classificar o custo dependerá do critério adotado pelo gestor.

Qual A Importância De Classificar Os Custos Indiretos?

Ao atribuir corretamente o custo direto e indireto aos produtos ou serviços, é possível determinar preços mais precisos. Isso ajuda a garantir as vendas dos produtos por um valor que cubra todos os custos incorridos, inclusive aqueles que não são facilmente identificáveis.

Além disso, permite ter uma visão mais clara do custo direto e indireto total associado à produção ou prestação de serviços. Assim, o gestor pode tomar decisões mais fáceis, como a definição de metas de produção etc.

Ter essa visualização ampla também possibilita identificar áreas de maior gasto e buscar maneiras de reduzir custos, seja por meio da otimização de processos, renegociação de contratos ou eliminação de atividades desnecessárias.

Ou seja, é possível direcionar recursos de forma mais eficiente, priorizando investimentos em áreas que oferecem maior retorno ou que são essenciais para o negócio.

Por isso, a classificação dos custos indiretos dá a oportunidade de estimar com maior precisão os custos totais envolvidos em diferentes cenários e projetar as necessidades financeiras da organização.

O Que É Custo Variável?

O custo variável, por sua vez, é aquele que sofre alterações periódicas por causa do aumento ou diminuição da produção.

É o caso das matérias-primas, compradas em maior ou menor quantidade, a depender do volume de produtos que uma empresa precisa produzir.

O gestor sabe que os custos variáveis são necessários e em todos os meses estarão presentes, mas nem sempre o valor será o mesmo.

O cálculo do custo variável depende de como a empresa funciona. Isso porque, além da matéria-prima, também, pode entrar aqui nesta classificação a remuneração da mão de obra, caso ela seja paga por hora.

Quais São Os Métodos De Custeio?

Agora que você já sabe o que é custo direto e indireto, fixo e variável, é preciso saber como apurá-los na sua empresa. Para isso, existem diferentes métodos de custeio.

O mais utilizado é o método variável, que avalia os gastos utilizando apenas os valores dos custos diretos e variáveis. Dessa forma, é feito um cálculo simples para entender quanta matéria-prima é necessária para produzir cada produto e o seu custo.

Os métodos de custeio são:
- Variável: aplica gastos com apenas os valores dos custos diretos e variávels
- Por absorção: usa todos os custos da fabricação (diretos, indiretos, fixos e variáveis) para produtos vendidos

Existe também o método de custeio por absorção, um pouco mais complexo. Nesse modelo, são utilizados todos os custos da fabricação, sejam eles diretos, indiretos, fixos ou variáveis.

Esse modelo, no entanto, considera somente os produtos vendidos, e não aqueles que estão em elaboração ou no estoque.

Como Saber Os Custos Dos Produtos E Mercadorias?

Existem dois cálculos necessários para saber o custo direto e indireto dos produtos e mercadorias: o Custo do Produto Vendido (CPV) e o Custo da Mercadoria Vendida (CMV).

Um produto é tudo aquilo produzido por uma empresa. Já a mercadoria é o resultado da produção depois que ela já foi vendida e está no mercado.

Na prática, uma fábrica encara um par de sapatos, por exemplo, como um produto. Mas, para uma loja, o mesmo par é uma mercadoria. Por isso, as fábricas costumam trabalhar com o CPV e as lojas, com o CMV.

O cálculo do CPV utiliza uma série de variáveis, como os gastos de fabricação, aquisição de matérias-primas, mão de obra e estoque.

Depois de levantar esses dados, deve-se multiplicar a quantidade de matéria-prima utilizada pelo preço da matéria-prima. Depois, multiplicar o resultado pela quantidade de vendas.

Precisa de ajuda nesse processo? O ERP WebMais vai te ajudar a calcular os custos do seu negócio de forma simples, precisa e eficiente. Agende uma demonstração gratuita e veja o sistema em ação.

Quais As Maneiras De Apuração Dos Custos Diretos E Indiretos?

Apurar o custo direto e indireto é uma etapa importante do processo de gestão de custos. Ela fornece uma visão clara dos custos envolvidos na produção de um produto ou serviço, o que é essencial para decidir ações com mais estratégia.

A apuração de custo direto e indireto pode ser feita de diferentes formas, dependendo da forma como o negócio gerencia seus dados. Conheça algumas opções!

Sistema Integrado

Utilizar um sistema integrado (ERP) é a forma mais fácil de fazer a apuração de custo direto e indireto do negócio.

Isso porque esse tipo de sistema automatiza uma série de tarefas. Além disso, ele se atualiza automaticamente, a partir das informações fornecidas ao sistema sempre que um novo produto é registrado.

Essa apuração é recomendada para todas as empresas, independentemente do seu porte, até mesmo as iniciantes no mercado, consideradas micro e pequenas. É que ela agiliza o trabalho e evita erros nos cálculos, já que eles são feitos automaticamente pelo computador.

Mas, a adoção de um ERP é especialmente importante para empresas maiores, que trabalham com grande volume e variações de produtos. Com uma grande demanda, fazer o cálculo manualmente pode ser mais complicado nesses casos.

CONTROLE DE CUSTOS COMPLETO, ÁGIL E AUTOMATIZADO  CONHEÇA O ERP WEBMAIS

Eletrônico Manual

A apuração eletrônica manual é feita com o auxílio da tecnologia, mas segue a lógica estipulada pela pessoa que está responsável pelo processo.

Um exemplo é a utilização de planilhas. Em geral, elas facilitam o trabalho, mas dependem do desenvolvimento de fórmulas e da configuração de cada uma das células.

A grande desvantagem desse método é que ele não é integrado aos demais processos internos. Então, por isso, o procedimento está sujeito a erros e pode ser mais demorado em comparação com o uso de um ERP, por exemplo.

Manual

Por fim, também é possível realizar a apuração do custo direto e indireto manualmente, usando lápis e papel para somar todos os custos. Essa metodologia está mais sujeita a falhas e esquecimentos e, por isso, deve ser evitada.

Que tal deixar as planilhas e os papéis de lado? Você pode automatizar todos esses processos manuais com o ERP WebMais. Experimente agora o sistema e entenda como ele vai otimizar sua gestão de custos.

Quais Situações São Recomendadas Para Utilizar Os Custos Diretos?

Toda empresa deve realizar a apuração do seu custo direto e indireto e usar esse conhecimento para tomar decisões estratégicas para o negócio. E isso independe do seu tamanho e da quantidade de produtos com os quais trabalha.

A única diferença deve estar no método. Empresas que continuam dando os primeiros passos podem usar o método manual ou eletrônico manual até que tenham condições de investir em um sistema ERP mais completo.

Já as empresas que estão há mais tempo no mercado ou que trabalham com um grande volume de produtos devem contar com um sistema integrado para essa apuração. Afinal, isso agiliza os cálculos e evita erros e esquecimentos ao longo do processo.

Como Calcular A Margem De Contribuição?

A margem de contribuição é o valor que sobra depois da venda de um produto. Ele é subtraído da receita que acabou de entrar, os custos variáveis para a produção daquele item. É a margem de contribuição que garante a cobertura tanto dos custos como dos lucros.

Para calcular a margem de contribuição, deve-se usar a seguinte fórmula:

Margem de contribuição = receita de vendas – gastos variáveis

Por exemplo, uma empresa vende um produto por R$ 100, mas os custos variáveis para produzi-lo são de R$ 50. Assim, a margem de contribuição para cada item vendido é de R$ 50.

Como Gerenciar Custos Diretos E Indiretos

Desconhecer o custo direto e indireto pode ser um obstáculo significativo para a saúde financeira, resultando em precificação incorreta, prejuízos e falta de clareza sobre a lucratividade dos seus produtos ou serviços.

Nesse sentido, o fluxo de caixa desempenha um papel fundamental. Por meio dele, é possível identificar as fontes de receita e os custos da empresa, proporcionando uma compreensão mais profunda do retorno sobre o investimento.

O fluxo de caixa é muito importante para a gestão de custos!

Ao acompanhar a entrada e saída de dinheiro, o gestor tem informações valiosas sobre o custo direto e indireto e a capacidade da empresa de gerar receita.

Essa análise mostra onde os recursos estão sendo utilizados e permite tomar decisões informadas para ajustar os gastos desnecessários e buscar maneiras de otimizar os processos internos.

Além disso, auxilia na identificação de tendências de gastos, variações e possíveis áreas de desperdício ou ineficiência. Com base nisso, é possível implementar estratégias para reduzir custos, negociar com fornecedores e melhorar a eficiência operacional.

Essa ferramenta pode ser combinada com o rateio de custos para ter uma visão abrangente e detalhada do gerenciamento de custo direto e indireto.

Como Fazer O Rateio Dos Custos Indiretos?

Entender os custos indiretos é essencial para o sucesso financeiro de qualquer estabelecimento.

Saber o montante gasto nessas despesas permite calcular de forma precisa o valor que deve ser incluído no preço dos produtos ou serviços, a fim de evitar prejuízos e, idealmente, alcançar um saldo positivo.

Para realizar esse cálculo, é necessário recorrer ao rateio. Ele consiste em distribuir proporcionalmente os custos indiretos.

Uma vez conhecido o valor total dessas despesas, é preciso dividir esse montante pela quantidade de itens que serão comercializados em um determinado tempo, garantindo assim que o negócio não opere no vermelho.

Nesse caso, imagine que uma empresa possui custos indiretos mensais no valor de R$ 5 mil. Durante o mesmo período, a empresa produziu e vendeu 100 unidades de um produto.

Rateio dos custos indiretos por unidade de produto (RCIUP)= Valor total dos custos indiretos / Quantidade de unidades produzidas e vendidas

RCIUP = R$ 5.000 / 100 unidades

Rateio dos custos indiretos por unidade de produto = R$ 50

Portanto, para cada unidade vendida, é necessário adicionar R$ 50,00 como parte dos custos indiretos.

O objetivo principal é gerar uma receita que supere todos os gastos envolvidos. Ter um bom entendimento disso e saber como administrar ajuda no crescimento e na saúde financeira de uma empresa.

Custos indiretos variáveis e fixos: quais as diferenças?

Os custos indiretos podem ser classificados em custos indiretos variáveis e custos indiretos fixos, com base em suas características de comportamento em relação às mudanças no nível de atividade da empresa.

Os custos indireto variáveis são aqueles que se alteram proporcionalmente ao volume de produção ou vendas da empresa. Conforme a atividade aumenta ou diminui, esses custos também se ajustam.

Exemplo: Matéria-prima utilizada na produção, comissões de vendas, embalagens, energia elétrica ou consumo de água diretamente relacionados à produção.

Já os custos indiretos fixos são aqueles que não sofrem alterações significativas conforme a produção ou vendas da empresa variam. Eles permanecem praticamente inalterados ao longo do tempo.

Custos indiretos variáveis x fixos

Exemplo: Aluguel da fábrica, salários administrativos, depreciação de equipamentos, seguro empresarial, custos de manutenção do prédio.

A compreensão dessas diferenças é relevante para a gestão financeira e tomada de decisões, assim como diferenciar custo direto e indireto.

Afinal, os custos indiretos variáveis podem ser mais diretamente controlados por meio do ajuste do volume de produção ou vendas, enquanto os custos indiretos fixos requerem uma análise mais cuidadosa em relação ao planejamento e alocação adequada desses recursos.

Como Fazer A Gestão De Custo Direto E Indireto?

Lendo até aqui, você certamente já entendeu como é importante fazer uma boa gestão de custo direto e indireto da empresa. A seguir, trazemos algumas dicas que ajudarão você a implementar essas rotinas de controle na sua empresa!

Fique De Olho Na Inflação E Atualize Seus Custos 

A inflação influencia diretamente no custo direto e indireto do negócio, especialmente naqueles que são variáveis. 

E isso, naturalmente, pode resultar no aumento dos seus gastos. Por isso, é preciso estar sempre acompanhando esses indicadores, para fazer todos os ajustes necessários no seu orçamento e evitar perder dinheiro com essas variações.

Elabore Planos De Contingência

Uma empresa bem gerida deve estar sempre preparada para enfrentar imprevistos. Ainda que tudo esteja dando certo no negócio, é preciso elaborar esse tipo de plano. Afinal, nunca se sabe quando será preciso encarar novos desafios.

Um grande exemplo de imprevisto que atingiu muitas empresas foi a pandemia. 

Quando foi necessário fechar temporariamente estabelecimentos não essenciais, muitas empresas precisaram encerrar de vez as suas atividades. Isso aconteceu, pois não estavam preparadas financeiramente para lidar com esse tipo de situação.

Observe As Despesas Em Tempo Real

Todo custo direto e indireto feito pela empresa deve ser registrado em tempo real, independentemente do valor.

Essa é a melhor forma de controlar os gastos e despesas, localizar erros antes que eles prejudiquem as contas da organização e até mesmo identificar fraudes.

Acompanhe Dados Regularmente

A coleta e a análise de dados é fundamental para um processo de tomada de decisão inteligente. Por isso, não deixe de contar com um sistema de gestão que armazene e organize essas informações para você!

Assim, terá acesso fácil aos dados e a relatórios completos sobre o negócio sempre que precisar tomar uma decisão estratégica embasada nas informações de custo direto e indireto.

Documente E Avalie Todas As Variações

Qualquer variação no custo direto e indireto do negócio deve ser documentada, mesmo que, a princípio, pareça insignificante.

Esse tipo de informação provavelmente vai ser útil mais tarde, especialmente na hora de tomar decisões, precificar e fazer novos investimentos.

Quais São As Outras Definições De Gastos?

A classificação dos gastos em diferentes categorias permite identificar padrões e tendências, bem como comparar o desempenho de diferentes empresas ou períodos.

Cada uma possui características e impactos diferentes, e é essencial avaliar e controlá-las para garantir o sucesso financeiro do negócio.

Movimentos não operacionais e investimentos também podem ser considerados gastos

Além do custo direto e indireto, existem outras definições de gastos comumente utilizadas na gestão financeira de uma empresa, como as despesas.

As despesas são gastos necessários para a operação geral da empresa, mas que não estão diretamente relacionados à produção de bens ou serviços. Elas incluem despesas administrativas, de vendas e marketing, de escritório etc.

Indo além disso, temos outros dois termos disponíveis. Vamos entendê-los.

Investimentos

Os investimentos são gastos feitos pela empresa para adquirir ativos de longo prazo que contribuirão para o crescimento e sucesso futuro do negócio.

Isso pode incluir a compra de equipamentos, propriedades, tecnologia etc. São realizados com a expectativa de gerar retornos positivos no futuro

Eles podem ser classificados como:

  • Ativos fixos: bens duráveis utilizados na produção de bens ou serviços. Exemplos: máquinas, equipamentos, veículos, imóveis;
  • Ativos intangíveis: bens que não têm forma física, mas que possuem valor econômico. Exemplos: marcas, patentes, direitos autorais;
  • Investimentos financeiros: aplicações de recursos em instrumentos financeiros, como ações, títulos de renda fixa ou fundos de investimento.

Movimentos Não Operacionais

Os movimentos não operacionais são gastos ou receitas não relacionados às atividades operacionais da empresa.

Podem incluir itens como ganhos ou perdas com venda de ativos não utilizados, ganhos ou perdas em investimentos financeiros etc. Então, afetam o resultado financeiro da empresa, mas não fazem parte do seu core business.

Por exemplo, uma indústria de alimentos paga juros sobre um empréstimo bancário. Os juros são uma despesa não operacional, pois não estão relacionados à atividade principal da empresa.

De modo geral, é preciso registrar as movimentações não operacionais em uma conta separada da conta de gastos operacionais. Isso permite entender melhor os gastos diretamente relacionados à atividade-fim.

Como O ERP WebMais Auxilia Sua Gestão De Custos?

O ERP WebMais é um sistema de gestão empresarial usado para gerenciar diversos departamentos de um negócio, conforme a necessidade individual, oferecendo diversas funcionalidades para auxiliar, inclusive, na gestão de custos.

Dentre as principais funcionalidades relacionadas a essa área estão:

  • Controle de custos diretos e indiretos: permite que os gestores controlem de forma precisa os custos diretos, como matéria-prima, mão de obra e energia, e os custos indiretos, como aluguel, energia, manutenção etc.
  • Cálculo automático de custos: calcula automaticamente os custos de produção, de vendas e de serviços, de acordo com os dados informados pelos gestores.
  • Alocação de custos por centro de custos: adequa os custos por centro de custos, o que facilita a análise e a tomada de decisão.
  • Relatórios gerenciais de custos: oferece diversos relatórios gerenciais de custos, que permitem aos gestores acompanhar e analisar a evolução dos custos da empresa.
  • Automatização de processos: o ERP WebMais automatiza diversos processos relacionados à gestão de custos, como lançamento de notas fiscais, controle de estoque etc. Assim, reduz o tempo e o esforço necessários para gerenciar custos, e também reduz o risco de erros. 

Essas funções, que fazem parte de módulos específicos, permitem que os gestores das empresas tenham uma visão completa e precisa dos custos, o que é essencial para a tomada de decisões estratégicas.

Tudo isso graças à centralização de informações relacionadas a essa área em um único sistema fácil de usar e completo, o que fornece essa visualização holística dos custos do negócio em tempo real.

GESTÃO DE CUSTOS COMPLETA E EFICIENTE COM O ERP WEBMAIS
EXPERIMENTE AGORA

Conclusão

Conhecer e controlar o custo direto e indireto é uma atividade de fundamental importância para a saúde financeira de uma empresa. Isso impacta diretamente na sua manutenção no mercado.

A falta de controle ou erros nos cálculos podem resultar em grandes prejuízos e, por isso, toda essa gestão precisa ser feita com atenção e cuidado.

A adoção de um sistema de gestão, como o ERP da WebMais, pode facilitar muito esse trabalho. Isso porque, além de automatizar algumas funções, essa ferramenta diminui consideravelmente as chances de erros, tornando o trabalho muito mais ágil e seguro.

E como você viu, o ERP da WebMais é a melhor solução para lidar com esse desafio na gestão. Faça um teste gratuito agora mesmo!

Entenda a diferença entre custos e despesas Custos - Gastos da operação do negócio - Representam compra de materiais, mão de obra, aluguel, etc Despesas - Gastos administrativos - Indicam compa de materiais de escritório, marketing e publicidade, etc

Deixe um comentário