Veja como prevenir sua indústria da contaminação cruzada

Entenda De Uma Vez Por Todas A Contaminação Cruzada E Veja Medidas Preventivas

Imagem de Sanon Matias

A contaminação cruzada na indústria alimentícia é uma das principais causas de doenças transmitidas por alimentos. 

Por isso, as empresas devem ter políticas de prevenção de contaminação, colocando em prática medidas que garantam a segurança para os consumidores.

Então, neste artigo, você saberá mais sobre a contaminação cruzada, entender como ela acontece e conferir algumas práticas que podem evitá-la.

Uma forma de ajudar nesse processo é com o uso do ERP WebMais. Ele ajuda a rastrear os alimentos desde a origem até o produto final, além de controlar o estoque e planejar a produção. Assim, garante a identificação e redução dos riscos de contaminações.

Agende uma demonstração gratuita do software e siga a leitura para saber mais sobre o assunto!

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que É Contaminação Cruzada?

A contaminação cruzada é a transferência de contaminantes biológicos entre alimentos, superfícies e materiais de produção. Esses contaminantes podem ser bactérias, parasitas, vírus, toxinas e agentes químicos.

Atualmente, uma das bactérias mais conhecidas é a Salmonella, geralmente encontrada em ovos, leite, carne mal cozida, frutas e vegetais. Entre os vírus, destaca-se o norovírus, normalmente transmitido por meio da manipulação de alimentos contaminados.

Além disso, segundo o Ministério da Saúde, os maiores contaminadores do Brasil são alimentos crus, como ovos e carnes vermelhas. Isso porque eles são responsáveis por 34,5% dos surtos de doenças causadas por alimentos no país.

Como Ocorre a Contaminação Cruzada na Indústria?

O mais comum é que a contaminação cruzada aconteça por troca de agentes biológicos durante a manipulação de peças de proteína animal. Isso ocorre principalmente quando esses procedimentos são feitos sem os cuidados e higiene necessários.

Além disso, ela também pode ocorrer por outros fatores, como:

  • utilização dos mesmos utensílios para manipular alimentos crus e cozidos;
  • armazenamento de alimentos de diferentes origens em um mesmo espaço;
  • manipulação de lixo ou de partes do corpo antes da manipulação de alimentos, sem a higiene adequada;
  • transporte inadequado;
  • condições inadequadas na distribuição dos produtos aos consumidores finais (como em mercados, por exemplo).

Importância Da Segurança Alimentar Na Indústria

Em resumo, a segurança alimentar é a garantia de que os alimentos sejam seguros para o consumo humano, livres de contaminação física, química ou biológica.

É um tema de extrema importância para a indústria alimentícia, pois está diretamente relacionado à saúde e à segurança dos consumidores e à qualidade dos produtos.

Além disso, as indústrias alimentícias estão sujeitas a uma série de riscos que podem levar à contaminação dos alimentos, seja de forma cruzada, por manipuladores, água ou matéria-prima.

Por isso, aquelas que adotam boas práticas de segurança alimentar estão contribuindo para a proteção da saúde pública e para a construção de uma imagem positiva da indústria.

No Brasil, a segurança alimentar é regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que estabelece normas e diretrizes para a produção, transporte e comercialização de alimentos.

Sendo assim, as empresas que atuam no setor alimentício devem estar em conformidade com as normas da ANVISA para garantir a segurança dos alimentos que produzem.

Prevenção De Surtos Alimentares

A prevenção de surtos alimentares é uma prioridade para a saúde pública em todo o mundo. Isso porque os surtos alimentares podem causar doenças graves, incluindo diarreia, vômitos, febre e até mesmo a morte.

Mas, existe uma série de medidas que podem ser tomadas para prevenir surtos alimentares, como:

  • boas práticas de fabricação (BPF): conjunto de procedimentos para garantir a segurança dos alimentos durante todo o processo produtivo. As BPF incluem medidas para controle de higiene, qualidade da água, controle de pragas e outros riscos;
  • controle de qualidade: atividades para estar com a conformidade dos alimentos com os padrões de qualidade estabelecidos. Inclui análises microbiológicas, químicas e físicas dos alimentos;
  • rastreabilidade: capacidade de rastrear um alimento desde a sua origem até o seu destino final. Permite que as autoridades de saúde pública identifiquem a fonte de um surto alimentar.

Quais os Tipos de Contaminação Cruzada?

Existem três principais tipos de contaminação cruzada. Saiba mais sobre cada um deles a seguir!

Os 3 tipos de contaminação cruzada

Equipamentos Para Alimentos 

Este tipo de contaminação cruzada acontece porque as bactérias podem sobreviver por longos períodos em superfícies como bancadas, tábuas, facas, recipientes e equipamentos de corte.

Por isso, é fundamental que eles sejam higienizados corretamente. Caso contrário, os alimentos que entrarem em contato com essas superfícies podem ser contaminados por agentes patológicos. 

Pessoas Para Alimentos

Os seres humanos também podem transferir agentes contaminantes para os alimentos. É o que acontece quando alguém toca os próprios olhos, nariz ou boca antes da manipulação, mas sem ter feito a higienização adequada 

Além disso, é comum que as pessoas envolvidas nos processos produtivos de alimentos esqueçam de lavar as mãos depois de mexer no lixo ou ir ao banheiro. Assim, se aumenta significativamente as chances de contaminação cruzada.

Outro exemplo comum de transmissão de agentes de pessoas para alimentos é quando alguém tosse ou espirra enquanto manipula esse tipo de produto.

Alimentos Para Alimentos

Este é o tipo de contaminação cruzada mais comum e acontece quando um produto contaminado entra em contato com outro que não está. 

Isso acontece, principalmente, quando não há processos muito bem definidos para a manipulação de alimentos na indústria e quando diferentes alimentos são armazenados em um mesmo recipiente.

Tipos De Contaminantes Dos Alimentos

Existem muitas formas de haver contaminação de alimentos. Então, vamos conhecer as principais delas.

Contaminante Físico

Em resumo, os contaminantes físicos são objetos estranhos que podem entrar nos alimentos durante a produção, processamento, transporte ou armazenamento. Eles podem incluir:

  • fragmentos de metal, vidro, plástico ou madeira;
  • partes de insetos ou outros animais;
  • pedras, areia ou terra;
  • objetos estranhos introduzidos por manipuladores de alimentos, como jóias ou grampos de cabelo.

Os contaminantes físicos podem causar ferimentos na boca, garganta ou estômago. Além disso, em casos graves, podem até causar obstruções intestinais ou morte.

Algumas medidas para prevenir a contaminação física dos alimentos são:

  • inspecionar os alimentos cuidadosamente antes do consumo;
  • lavar os que forem frescos, como frutas, vegetais e legumes;
  • mantê-los em recipientes fechados. 

Contaminante Químico

Os contaminantes químicos são substâncias químicas que podem entrar nos alimentos durante a produção, processamento, transporte ou armazenamento. Dessa forma, dentre eles, podemos destacar:

  • pesticidas;
  • herbicidas;
  • fertilizantes;
  • metais pesados;
  • solventes;
  • aditivos alimentares não autorizados.

Se houver esse tipo de contaminação, pode causar uma variedade de problemas de saúde, incluindo:

  • doenças gastrointestinais;
  • problemas neurológicos;
  • problemas reprodutivos;
  • câncer.

Nesse caso, algumas medidas para prevenir esse tipo de ocorrências são:

  • lavar as frutas, vegetais e legumes com água corrente;
  • cozinhar os alimentos adequadamente;
  • evitar aqueles que estejam fora da validade ou que tenham sido armazenados incorretamente.

Contaminante Biológico

Os contaminantes biológicos são microrganismos, como bactérias, vírus, fungos ou parasitas, que podem entrar nos alimentos durante a produção, processamento, transporte ou armazenamento.

As bactérias são os microrganismos mais comuns que contaminam os alimentos. Algumas delas causam doenças transmitidas por alimentos, como intoxicação alimentar.

Além disso, os vírus e os parasitas também podem causar doenças transmitidas por alimentos, sejam eles crus ou mal cozidos.

Tipos de contaminantes dos alimentos

Já os fungos podem produzir toxinas que podem causar doenças. Algumas toxinas fúngicas são encontradas em alimentos naturais, como cogumelos selvagens.

Dentre as medidas para prevenir a contaminação biológica dos alimentos, estão:

  • lavar as mãos com água e sabão antes de preparar alimentos;
  • separar os que forem crus dos que estão cozidos;
  • cozinhá-los adequadamente;
  • refrigerar os alimentos perecíveis adequadamente.

Contaminação Cruzada Direta

A contaminação cruzada direta ocorre quando um alimento contaminado entra em contato direto com outro alimento.

Por exemplo, se uma faca que foi usada para cortar carne crua for usada para cortar vegetais, os vegetais podem ser contaminados com bactérias da carne crua.

Contaminação Cruzada Indireta

A contaminação cruzada indireta ocorre quando um alimento contaminado entra em contato com uma superfície ou utensílio contaminado.

Por exemplo, se uma superfície de trabalho usada para preparar carne crua não for limpa adequadamente, os alimentos preparados nessa superfície podem ser contaminados com bactérias dessa carne.

Quais Medidas Adotar Para Prevenir a Contaminação Cruzada?

A notícia boa é que a manipulação cruzada, apesar de grave, pode ser evitada com ações simples. Conheça alguns exemplos para evitar contaminação cruzada de alimentos!

Armazene Alimentos no Lugar Certo

O armazenamento de alimentos na indústria deve ser feito com muita atenção. Alimentos diferentes nunca devem dividir o mesmo recipiente.

Além disso, os alimentos crus devem estar sempre separados daqueles que já estão cozidos ou prontos para o consumo, ainda que sejam do mesmo tipo.

Higiene das Mãos e Superfícies

A higiene também é essencial para evitar a contaminação cruzada. E aqui estamos falando tanto da higiene pessoal como da limpeza de superfícies e equipamentos.

Todas as pessoas que terão contato com o alimento devem lavar as mãos antes da manipulação, prender os cabelos e evitar tossir, falar ou espirrar enquanto manipulam os produtos.

Por fim, a higienização das superfícies e equipamentos também deve ser feita com cuidado, utilizando produtos adequados e garantindo que todos os pontos tenham contato com eles.

Cuidado Com a Manipulação do Alimento

A manipulação em si também deve ser feita com alguns cuidados. As tábuas, por exemplo, não podem receber dois alimentos diferentes sem antes serem higienizadas.

Medidas preventivas contra a contaminação cruzada

- Armazene alimentos no lugar certo
- Higiene das mãos e superfícies
- Cuidado ao manipular o alimento
- Temperatura de armazenamento correta
- Manual de boas práticas para fabricação

Então, para garantir cuidados ainda melhores, o ideal é ter tábuas, facas e ferramentas específicas para cada grupo de alimentos.

Também é importante que as pessoas que fazem a manipulação estejam sem anéis, pulseiras e relógios, além de manter as unhas curtas.

Observar a Temperatura Recomendada Para Armazenamento dos Alimentos

As chances de contaminação cruzada aumentam quando os alimentos são conservados em temperaturas diferentes daquelas recomendadas.

Por isso, na hora de armazenar, certifique-se de que cada peça está segura do calor ou do frio excessivo, de acordo com as recomendações para cada produto.

Tenha Um Manual De Boas Práticas De Fabricação

Para evitar a contaminação cruzada, não basta apenas lavar as mãos com água e sabão. 

É preciso separar os alimentos crus dos prontos para consumo, usar utensílios diferentes para o que for cru e cozido, armazená-los em recipientes separados e/ou cozinhá-los até atingirem a temperatura interna segura.

Além disso, é importante ter um manual de boas práticas de fabricação (BPF) que estabeleça os procedimentos e controles necessários para garantir a segurança dos alimentos.

O manual de BPF deve incluir as seguintes informações:

  • objetivos e responsabilidades: os objetivos da empresa em relação à segurança dos alimentos e as responsabilidades de cada funcionário;
  • controle de higiene: é preciso ter desde cuidados básicos até mais avançados;
  • controle de qualidade: procedimentos para analisar os alimentos quanto à segurança e qualidade;
  • controle de pragas: procedimentos para evitar a entrada de pragas no estabelecimento;
  • controle de água: procedimentos para garantir a qualidade da água utilizada na produção de alimentos.

Em resumo, a adoção de medidas de higiene e segurança alimentar e a implementação de um manual de BPF são essenciais para prevenir a contaminação cruzada e garantir a segurança dos alimentos.

BANNER Mais qualidade produtiva com o Módulo de Gestão da Produção do ERP WebMais

Conclusão

A contaminação cruzada por ser um grande problema para as indústrias, pois está diretamente relacionada à saúde da população.

Por isso, as empresas precisam desenvolver ações preventivas e conscientizar toda a equipe sobre a importância desses cuidados.

Mas, com pequenas ações, processos bem estabelecidos e disciplina, é possível evitar a contaminação e garantir a produção de produtos seguros para o consumo.

Além disso, o ERP WebMais te ajuda a identificar riscos de contaminações por meio da rastreabilidade de insumos, controle de estoque e planejamento de produção.

Agende uma demonstração gratuita do software para ter processos ainda mais seguros na sua indústria!

Deixe um comentário