Quando usar o CFOP 5405?

O CFOP 5405 Tem ICMS? Descubra E Veja Exemplos

Imagem de Sanon Matias

Atualmente, o sistema de impostos no Brasil é conhecido por ser complicado e cheio de códigos que regram as compras e vendas de produtos. O CFOP 5405 é um deles.

Então, nesse artigo, vamos explicar de forma simples o que é o CFOP 5405. Além disso, veremos a ligação com o ICMS, e dar exemplos práticos para você entender melhor.

Isso porque entender o CFOP 5405 e como ele funciona é importante para as empresas cumprirem as regras de impostos e evitarem problemas com o governo.

Sendo assim, nos acompanhe nesta explicação para entender melhor esse código e como ele afeta as empresas no Brasil.

Então, para garantir que sua empresa esteja sempre em conformidade, agende uma demonstração gratuita do ERP WebMais. Simplifique sua gestão fiscal e evite surpresas desagradáveis com o governo.

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que É O CFOP 5405?

O CFOP, ou Código Fiscal de Operações e Prestações, é uma codificação utilizada no Brasil para identificar as operações comerciais e prestações de serviços.

O CFOP 5405 se refere a operações de entrada de mercadorias ou aquisições de serviços sujeitos à substituição tributária.

Basicamente, ele é usado quando o destinatário da mercadoria ou serviço é o responsável pelo recolhimento do ICMS devido nas operações subsequentes.

Isso significa que, no momento da compra, o ICMS já está retido pelo remetente.

Então, o destinatário assume a responsabilidade de recolher o imposto quando revender a mercadoria ou utilizar o serviço.

Emissão Do CFOP 5405

A emissão do CFOP 5405 ocorre no momento em que o contribuinte adquire mercadorias ou serviços sujeitos à substituição tributária.

O emitente da nota fiscal deverá utilizar o CFOP 5405 no documento fiscal para indicar que a operação está sujeita a essa forma de tributação.

Mas, é importante observar que a correta emissão do CFOP 5405 é fundamental para evitar problemas com a fiscalização tributária.

Sendo assim, utilizar o código errado pode resultar em multas e penalidades.

Tem Pagamento Do ICMS?

Uma dúvida comum em relação ao CFOP 5405 é se ele implica no pagamento do ICMS no momento da compra.

Em resumo, a resposta é não. Nesse tipo de operação, o ICMS é retido pelo remetente e não deve ser pago pelo destinatário na aquisição.

O destinatário apenas será responsável por recolher o ICMS nas operações subsequentes, como vendas ou outras transações que envolvam a mercadoria ou serviço.

Em outras palavras, o destinatário não terá o ônus de pagar o ICMS duas vezes, uma na compra e outra na revenda. Essa é uma das vantagens da substituição tributária.

Informação Do Processo ICMS Anterior

Para a emissão correta do CFOP 5405, é essencial que a empresa compradora tenha informações detalhadas sobre o processo de Substituição Tributária.

Isso inclui a identificação do remetente, o valor do ICMS retido por ele e a data da retenção.

Essas informações são fundamentais para o preenchimento correto dos documentos fiscais e para a comprovação da regularidade da operação.

Código Do IPI

Além do ICMS, é importante mencionar que o CFOP 5405 também está relacionado ao IPI, o Imposto sobre Produtos Industrializados.

Em algumas situações, o CFOP 5405 pode ser utilizado em operações sujeitas à substituição tributária do IPI.

Lembre-se: o CFOP 5405 tem relação com o IPI!

Isso significa que o contribuinte deve ficar atento às normas específicas de cada estado, pois a legislação pode variar.

Em alguns casos, o IPI também pode ser retido e recolhido pelo remetente, e o CFOP 5405 é utilizado para indicar essa situação.

Itens Dentro Da Substituição Tributária

Dentro do contexto da substituição tributária, é importante entender que nem todos os produtos ou serviços estão sujeitos a esse regime.

A legislação tributária de cada estado estabelece quais mercadorias ou serviços estão sujeitos à substituição tributária e quais não estão.

Portanto, ao utilizar o CFOP 5405, o contribuinte deve verificar se o produto ou serviço em questão está de fato sujeito à substituição tributária.

Isso pode ser feito consultando a legislação estadual ou buscando orientações junto à Receita Estadual.

Exemplos De Uso Do CFOP 5405

Para ilustrar o uso do CFOP 5405, apresentaremos alguns exemplos práticos:

Compra de mercadorias sujeitas à substituição tributária

Imagine que uma loja de eletrônicos compre um lote de smartphones de um fornecedor. 

Nesse caso, a loja emitirá uma nota fiscal com o CFOP 5405 para indicar que a operação está sujeita à substituição tributária.

O ICMS referente a essa operação será retido pelo fornecedor.

Revenda dos produtos

Quando a loja de eletrônicos vender os smartphones para seus clientes, ela não precisará calcular o ICMS novamente, uma vez que já foi retido na operação anterior.

O CFOP utilizado para a venda será o adequado à operação de saída, sem a retenção do ICMS.

Devolução de mercadorias

Se um cliente devolver um smartphone por algum motivo, a loja emitirá uma nota fiscal de devolução com o CFOP 5405, indicando que se trata de uma operação sujeita à substituição tributária.

Vendas interestaduais

Em algumas situações, o CFOP 5405 também pode ser utilizado em operações de venda interestaduais sujeitas à substituição tributária.

Nesse caso, o remetente deve observar as regras específicas para a circulação de mercadorias entre estados.

BANNER Facilite o uso do CFOP 5405 e outros códigos nas suas notas fiscais

Conclusão

Em conclusão, o CFOP 5405 desempenha um papel importante no complexo sistema de impostos no Brasil, permitindo às empresas identificar operações sujeitas à substituição tributária.

É fundamental que as empresas estejam bem informadas sobre o processo de substituição tributária, incluindo detalhes sobre o remetente, o valor do ICMS retido e a data da retenção.

Além disso, é importante destacar que o CFOP 5405 também está relacionado ao IPI em algumas situações. Assim, o conhecimento das normas específicas de cada estado fica ainda mais relevante.

O ideal é que as empresas estejam atualizadas com a legislação estadual e busquem orientações junto à Receita Estadual quando necessário. A ideia é garantir o cumprimento adequado das obrigações fiscais.

Além disso, a implementação de sistemas de ERP, como o WebMais, pode ser uma ferramenta valiosa para ajudar as empresas a lidar com a complexidade do sistema tributário brasileiro e garantir a conformidade fiscal.

Para experimentar em primeira mão como o ERP WebMais pode simplificar e otimizar suas operações fiscais, agende uma demonstração gratuita do ERP WebMais.

Deixe um comentário