Boas práticas na gestão de estoque

Boas práticas na gestão de estoque que você precisa conhecer

Você sabe quais são as boas práticas na gestão de estoque? Esse é um tema bastante importante para indústrias e distribuidoras, porque um gerenciamento eficiente desse elemento evita desperdícios e potencializa lucros. 

Em um mercado cada vez mais competitivo, é fundamental adotar práticas que proporcionem um bom controle de estoque. Nesse cenário, a automatização de processos ajuda bastante para que as empresas não sofram prejuízos causados pela desorganização do estoque. Isso porque um sistema especializado concentra todas as informações necessárias para um gerenciamento eficiente da produção. 

Se você sofre com erros e perda de mercadorias, então precisa ler o post de hoje. Vamos falar qual a importância de gerenciar o estoque e como fazer isso com excelência. Conheça as vantagens de aplicar as boas práticas a seguir! 

Importância das boas práticas para indústrias e distribuidoras 

As boas práticas na gestão de estoque são fundamentais para garantir a integridade dos produtos armazenados, desde o processo de recepção até o de  distribuição. 

Isso porque esse gerenciamento traz informações qualificadas para uso no monitoramento das atividades operacionais e no controle gerencial das empresas.

Além disso, o gerenciamento de estoque contribui para a melhor organização do fluxo de caixa, que monitora as entradas e saídas na empresa. A partir disso, o gestor consegue fazer cálculos mais eficientes e realistas, evitando prejuízos graves para a indústria. 

Aplicando as boas práticas na gestão de estoque, você otimiza a produtividade na empresa, reduzindo o tempo para produzir os itens. Isso porque, com os produtos organizados, é possível ter uma visão bem clara daquilo que falta ou que está em excesso.  

Assim, a gestão do estoque garante a eficiência das operações e desafoga a sua equipe, que não precisa correr atrás de compras de urgência ou gastar muito tempo em busca de um determinado produto perdido. Mas como aplicar as boas práticas alinhadas a esse processo? É o que vamos ver agora. Confira!

erp gestao de recursos

Como aplicar as boas práticas na gestão de estoque 

Agora que você já sabe como a organização dos seus produtos pode fazer a diferença nas suas operações, é hora de entender como gerenciar esses itens da melhor maneira. Afinal, as boas práticas na gestão de estoque são importantes para a organização e otimização do setor industrial de ponta a ponta. Alguns exemplos nesse sentido envolvem:

  • Manter o estoque organizado: a organização é fundamental para manter o controle do estoque. Afinal, só com todos os itens organizados é possível ver claramente os produtos e poder estimar as necessidades para manter o estoque em dia. 
  • Mapear os processos: realizar um monitoramento dos processos produtivos é importante para entender quais produtos são demandados para cada etapa. Assim, é fácil destinar os itens certos a cada momento da cadeia. Além disso, um mapeamento eficiente permite reavaliar as necessidades da produção e das vendas. 
  • Analisar necessidades: a partir de um rigoroso controle de entradas e saídas do estoque, é possível perceber quais são as principais necessidades da empresa, além da sazonalidade dos itens de acordo com os períodos de vendas mais intensos. Isso é fundamental para traçar um planejamento eficiente e definir a necessidade de compra dos produtos. 
  • Realizar inventário constantemente: manter o inventário do estoque atualizado é fundamental para evitar erros, como não perceber que um produto está em falta. Afinal, esse tipo de acontecimento pode fazer a empresa perder vendas e causar uma impressão ruim no cliente, comprometendo sua credibilidade no mercado.
  • Uso de um sistema de gestão de estoque especializado (ERP): a tecnologia auxilia muito as indústrias e distribuidoras para o gerenciamento dos produtos. Isso porque um sistema permite registrar todos os itens para facilitar que sejam encontrados em uma busca rápida. Além disso, um ERP armazena todo o histórico do estoque, permitindo traçar planejamentos precisos e ter maior previsibilidade de vendas e sazonalidade de produtos. 

Agora que você já sabe quais são as boas práticas na gestão de estoque, precisamos falar sobre as diferenças de aplicação delas nas indústrias e distribuidoras. Para saber quais são esses contrastes, confira o tópico a seguir!

Diferenças na gestão de estoque para indústrias e distribuidoras 

Embora as boas práticas na gestão de estoque devam ser aplicadas tanto para indústrias como para distribuidoras, cada uma delas tem suas particularidades que precisam ser levadas em consideração na hora do gerenciamento eficiente. Confira quais são esses detalhes!

Gestão de estoque para indústrias

As indústrias precisam realizar o controle de insumos e produto acabado. Aqui, o recomendado é ter um estoque mínimo, para evitar as compras de urgência e cobrir imprevistos ou incertezas, e um estoque sazonal, dependendo da época em que os itens são mais solicitados. 

Também é importante fazer a separação entre os itens para uso próprio e aqueles que serão vendidos. Afinal, misturar esses produtos pode acarretar em demora para encontrar a mercadoria desejada. Da mesma forma, algum item pode ficar esquecido no fundo do estoque, prejudicando o controle da operação. 

Gestão de estoque para distribuidoras

Já as distribuidoras, a grosso modo, controlam apenas os produtos para realizar revenda. Nesse caso, as empresas precisam entender qual a necessidade dos clientes. 

Manter o estoque sempre em dia para não perder vendas pela falta dos itens comercializados também é fundamental. Além disso, esse passo é necessário para não haver atrasos quanto aos prazos de entrega, o que impacta diretamente a experiência do cliente com a empresa. 

Deixe um comentário

20 + 3 =