estoque e fluxo de caixa

Estoque e fluxo de caixa: entenda a diferença e como conciliar

Até pouco tempo, a gestão de estoque era considerada apenas uma prática para prever o quanto seria necessário comprar de matéria-prima para produção ou de material para revenda.

Contudo, desde que as empresas começaram a se preocupar com o desperdício e querer garantir resultados mais consistentes, passou a ser considerada também uma atividade estratégica para reduzir os custos e aumentar a produtividade. E está cada vez mais associada ao sucesso de um negócio.

Para entender como a gestão de estoque pode impactar a sua empresa é preciso compreender primeiramente o que é estoque e qual é a relação entre ele e o fluxo de caixa. Também saber como é possível integrar esses dois setores de forma eficiente.

O post de hoje foi escrito para ajudar nesse entendimento, por isso abordará as seguintes questões: 

  • O que é estoque?
  • Qual é a relação entre gestão financeira e estoque?  
  • Como integrar o estoque e as finanças de forma eficaz?

Esperamos que goste. Boa leitura!

Mas afinal, o que é estoque?

O estoque refere-se às mercadorias, produtos ou outros elementos que uma empresa adquire e mantém estocado. Pode compor matérias-primas para produção, produtos em elaboração e produtos acabados, além de material para revenda.

Como a finalidade do estoque é atender as necessidades da empresa, e no caso de uma indústria, por exemplo, garantir os insumos para a produção, a gestão deste departamento é uma prática indispensável dentro de qualquer negócio.

Ter o controle de estoque, saber tudo aquilo que entra, sai e permanece dentro do depósito, assegura que a empresa tenha em mãos todos os componentes de que precisa para otimizar processos e manter as vendas funcionando.

Mas mais do que só isso, é o que garante a ela o máximo de eficiência com o menor custo. Ou seja, conseguir realizar o maior giro possível do capital investido em materiais de modo a ter equilíbrio entre o que é comprado e consumido. 

Qual é a relação entre estoque e fluxo de caixa?

A gestão de estoque nada mais é do que a atividade que administra os recursos financeiros e físicos da empresa. 

Como um negócio sobrevive dos serviços que presta e dos itens que produz e comercializa, a administração desses recursos é fundamental para garantir que a empresa tenha sucesso na produção e venda de mercadorias.

Se o gestor realiza uma gestão ineficiente e não tem conhecimento sobre aquilo que possui em estoque ou o que precisa ser reposto, pode ser que em algum momento do mês ele deixe faltar insumos para a produção ou itens para entregar ao cliente. 

planilha-controle-estoque-três-pessoas-olhando-estoque

Já parou para pensar nos problemas que isso pode acarretar? Esse descuido pode impactar negativamente os resultados financeiros!   

Conciliar as informações com o fluxo de caixa sobre o que já tem em estoque e o que precisa ser reposto , é importante para a empresa manter o seu ciclo produtivo e as vendas funcionando.

Não só isso, é importante para verificar se possui saldo suficiente para fazer novas aquisições e se é capaz de assumir novos compromissos com seus fornecedores.

Conseguiu entender qual é a relação entre gestão financeira e estoque? Então agora veja como integrar os dois setores de forma eficiente!

Como integrar a gestão de estoque e as finanças de forma eficaz

Agora que você já sabe o que é estoque e qual é a relação entre ele o fluxo de caixa, deve estar se perguntando: 

Será que existe um meio eficaz de integrar esses dois setores?” Pois bem, existe! E para isso você pode aplicar os seguintes métodos: Just In Time e Curva ABC.

Just in Time

O Just in Time é um sistema de administração que preza por um estoque mais enxuto. Ou seja, ele compõe somente os itens que são necessários para manter o ciclo de produção funcionando. 

Diferente do estoque máximo, que é a quantidade máxima de matéria-prima ou material para revenda que a empresa precisa ter estocado, o Just In Time foca no estoque mínimo. Ou seja, manter a quantidade mínima de itens para evitar qualquer excesso de produto ou desabastecimento.  

Esse método é excelente para a sua empresa reduzir custos, evitar desperdícios e deixar de sofrer com estoque parado, uma vez que os produtos só são fabricados ou entregues a tempo de serem montados ou vendidos.

Curva ABC

Já a Curva ABC, também chamada de Análise de Pareto, é um sistema que categoriza o estoque. Isto é, ele é utilizado para classificar quais são os produtos mais importantes na sua empresa. Nesse método os itens são classificados em classes.

Na Classe A ficam os produtos de maior importância, valor ou quantidade. E esses representam 80% do valor total investido. Na Classe B ficam os elementos intermediários, que representam 15% dos custos. E na Classe C os de menor importância e giro, que correspondem 5%.  

De todos os itens que você tiver no seu estoque, 20% correspondem aos produtos de maior giro (Classe A). Na sequência, a Classe B, que conta com 30% dos elementos, enquanto que na Classe C ficam os 50% restantes.

Para ajudar na compreensão, veja a figura abaixo:

Enfim, independente do método que escolher, o importante é você assegurar que a sua empresa possui uma boa gestão dos recursos físicos e financeiros.

Para que, dessa forma, a quantidade de itens no seu estoque sempre consiga atender as necessidades da sua empresa e para que o seu caixa não saia prejudicado com compras de urgência ou desnecessárias.  

Gostou do tema? Quer saber mais sobre gestão financeira e estoque e como o controle de estoque pode impactar no seu negócio?

Deixe um comentário

15 − um =