quais tipos de estoque existem?

Descubra Quais São Os 12 Principais Tipos De Estoque

Imagem de Sanon Matias

Cada negócio precisa gerenciar seus produtos de forma individualizada. Por isso, conhecer os tipos de estoque é indispensável para encontrar o melhor jeito para si.

Deixar essa escolha de lado pode ser muito prejudicial. Afinal, essa gestão é uma das áreas mais importantes para a administração.

Ela tem um impacto direto na eficiência operacional, no atendimento ao cliente e na rentabilidade.

Neste artigo, você conhecerá os tipos de estoque de uma empresa e como fazer um controle eficiente por meio de um passo a passo simples e dicas diretas.

Se você quer gerenciar o seu estoque com sucesso, temos uma dica valiosa: o ERP da Web Mais.

Com ele, você pode registrar e monitorar as entradas e saídas com mais agilidade e facilidade. Agende uma demonstração gratuita hoje mesmo.

Garantida a sua demonstração? Então vamos à leitura do post!

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que É Um Estoque?

Um estoque é um espaço destinado à armazenagem, que contém todos os produtos ou mercadorias de uma empresa para atender à sua demanda. Isso inclui demandas dos consumidores ou da linha de produção.

Independente do seu tamanho, é necessário mantê-lo em ordem, com um planejamento eficiente para evitar perdas de mercadorias.

Para isso, é preciso identificar os tipos de estoque do seu negócio.

Qual O Conceito De Estoque?

Há diferentes tipos de estoque, mas, basicamente, um estoque é o conjunto de produtos ou materiais armazenados para manter seus processos de vendas fluídos.

Por isso, possibilita atender às necessidades de seus clientes e assegurar a fluidez do processo produtivo.

É um termo muito utilizado na gestão por referir-se à reserva que garante o funcionamento de um negócio, principalmente em sazonalidades com mais procura.

Quais Os Tipos De Estoque Existentes?

Existem diversos tipos de estoque para uma empresa escolher. Abaixo, selecionamos os principais deles para você conhecer.

1. Estoque Inativo

O estoque inativo se refere aos produtos que estão parados, seja por ter baixa ou nenhuma demanda. Por esse motivo, são considerados obsoletos ou não são mais populares entre seus clientes.

Assim, pode ter grande impacto no negócio por ocupar espaço e impedir vendas de outros itens que poderiam estar em seus lugares. Além de, claro, resultar em custos adicionais.

Ele pode ser resultado de erros de previsão de demanda, de mudanças nos hábitos de consumo dos clientes ou de problemas de logística.

Por exemplo: uma indústria de roupas pode ter estoque inativo de roupas da moda passada.

Esse estoque pode representar um custo significativo para a empresa, pois ocupa espaço de armazenamento e pode ficar parado e obsoleto.

2. Estoque Mínimo

É o nível mais baixo do qual o negócio não quer reduzir seu estoque, pois pode levar às faltas e perdas de vendas.

Para isso, considere a previsão de demanda e o período de entrega dos fornecedores para garantir disponibilidade para atender aos pedidos.

Esse é um dos tipos de estoque determinado com base na demanda de clientes, no lead time de reposição e no tempo de reposição.

Imagine que uma distribuidora de bebidas pode adotar essa estratégia com o mínimo de garrafas de refrigerantes para atender à demanda dos clientes durante o tempo de reposição.

3. Estoque Máximo

Dentre os tipos de estoque, esse trata-se de ter o maior número de um produto armazenado.

A sua maior vantagem é o poder de negociação e a facilidade de pagamento, por comprar a mais.

Esse é outro dos tipos de estoque determinado com base no espaço de armazenamento disponível, nos custos de armazenagem e no risco de obsolescência.

Na prática, imagine que uma distribuidora de medicamentos pode ter estoque máximo de medicamentos para atender à demanda de seus clientes durante o tempo de reposição mais o lead time de reposição.

Representação dos 12 tipos de estoque.

4. Estoque De Antecipação/Sazonal

Diz respeito a compra ou produção a mais do que a demanda atual devido a previsão de um aumento futuro na procura por esses produtos.

Isso pode acontecer, principalmente, em datas sazonais como o Natal, Dia das Mães etc.

Os varejistas costumam usar muito essa estratégia, baseada em dados de vendas dos anos anteriores, para saber exatamente quando deve ser aplicada.

De modo geral, ela é comum em empresas que vendem produtos sazonais ou que têm uma demanda que varia ao longo do tempo.

Um exemplo prático seria uma fábrica de sorvetes. É possível ter um estoque de antecipação desse produto para atender aos clientes durante o verão.

Ou ainda, uma empresa de roupa pode aderir para ter ainda mais variedades para o Natal e festas de fim de ano.

5. Estoque De Proteção/Isolador

Também é conhecido como estoque de segurança.

Tem o intuito de proteger a empresa contra as flutuações imprevisíveis na demanda ou nos tempos de entrega de seus fornecedores.

O seu cálculo é feito com base nas futuras procuras e no tempo de entrega dos fornecedores, evitando transtorno com atrasos, aumento inesperado de vendas etc.

Essa é uma forma de garantir a satisfação do cliente.

Por exemplo, uma indústria de alimentos pode ter estoque de proteção para casos de aumento da demanda, ou até mesmo se houver atrasos na entrega de matéria-prima proveniente dos fornecedores.

6. Estoque De Segurança

Dentre os tipos de estoque, há o estoque de segurança, semelhante ao estoque de proteção, mas é especificamente projetado para proteger contra variações na demanda.

Ele é calculado com base em uma fórmula que considera a média de demanda e o desvio padrão. Mantê-lo adequado evita a falta de produtos devido a flutuações inesperadas na demanda.

No entanto, esse é um dos tipos de estoque que também representa um custo para a empresa, pois ocupa espaço de armazenamento e gera custos de manutenção.

Para exemplificar, imagine um supermercado que pode ter estoque de segurança de leite para atender à demanda de seus clientes durante o lead time de reposição do produto.

Representação do estoque de segurança e como ele protege a empresa nas variações de demanda.

7. Estoque De Contingência

O estoque de contingência é mantido para enfrentar situações imprevistas, como greves, desastres naturais ou problemas de fornecimento.

Esse estoque é crítico para garantir a continuidade dos negócios em face de eventos inesperados que podem interromper a cadeia de suprimentos.

Por exemplo, uma indústria de alimentos pode aderir a esse tipo de solução quando souber de uma possível catástrofe natural que possa impactar a compra de insumos para produção.

8. Estoque Consignado

É um dos tipos de estoque no qual as mercadorias ficam à disposição do vendedor, que só paga ao fornecedor ou fabricante pelo que foi vendido, o restante é devolvido.

Essa abordagem pode ser benéfica para ambas as partes, pois permite ao fornecedor expandir sua presença no mercado e à empresa minimizar o risco associado ao estoque.

É comum em lojas de varejo e atacado por ser fácil de gerenciar o estoque sem assumir riscos financeiros de aquisição, como excesso ou perdas no processo de armazenagem.

Mas, além desse tipo de negócio, uma indústria de bebidas também pode usar o estoque consignado no depósito de seu fornecedor.

9. Estoque De Ciclo

O estoque de ciclo é mantido para atender a demanda durante o ciclo de produção ou pedido de um produto.

É ideal para empresas com diversidade e rotatividade de mercadorias, por manter a produção e os níveis de estoque equilibrados.

Afinal, existem produtos com tempo de fabricação mais longo, mas são vendidos rapidamente.

Outros demoram menos para serem fabricados, mas levam mais tempo para serem vendidos. E alguns são rapidamente produzidos e vendidos.

Na prática, imagine uma indústria de cosméticos, que pode ter um estoque de ciclo para atender aos seus consumidores durante um ciclo de reposição.

10. Estoque Regulador

O estoque regulador é aquele mantido para regular a demanda de clientes. Ele é comum em empresas que trabalham com produtos perecíveis ou que têm uma demanda sazonal.

É muito usado por empresas com mais de uma filial. Normalmente a maior loja mantém uma reserva adicional para caso falte determinado produto em outra filial.

Porém, para ter esse tipo de estoque, é indispensável um sistema ERP.

Com o ERP WebMais, por exemplo, você tem todas as informações necessárias para gerenciar seu estoque de forma eficiente. Agende uma demonstração e veja o sistema em ação.

Banner - Precisa de ajuda para manter o estoque regulador? O ERP WebMais é a solução!

Para exemplificar, vamos pensar em uma indústria de panificação. O seu estoque regulador são os alimentos produzidos para atender a demanda durante o dia.

Ou ainda, uma distribuidora de flores pode ter um estoque regulador para vender em algumas datas especiais, como Dia das Mães ou Dia dos Namorados.

11. Estoque Em Trânsito

Também chamado de estoque de canal, se refere aos itens que estão sendo transportados.

O seu controle ajuda a identificar com exatidão as quantidades do que está armazenado e em trânsito.

Além disso, garante que chegue no momento certo e esteja disponível para atender à demanda.

Mesmo estando na estrada, esse é um dos tipos de estoque que também é considerado parte do estoque da empresa até que chegue ao seu destino.

Uma indústria de móveis pode ter estoque em trânsito de insumos que estão sendo transportados do fornecedor para a fábrica. Ele deve ser contabilizado como parte estocada dessa organização.

Em caso de perdas, mesmo em trânsito, é contabilizado como prejuízo. Afinal, foi pago assim como os que já estão no ambiente de armazenamento do negócio.

12. Dropshipping

É um modelo dos tipos de estoque em que o lojista não mantém os produtos em estoque; por isso, é muito usado por quem vende online.

A loja realiza a divulgação e venda normalmente, mas o responsável pela logística ao consumidor final é o fornecedor ou atacadista.

Em outras palavras, quando um cliente faz uma compra, a empresa solicita ao fornecedor que envie a mercadoria diretamente para o consumidor.

Assim, não há preocupação em ter um inventário armazenado, reduzindo os custos. Por outro lado, é importante escolher bons fornecedores para garantir a qualidade e a rapidez da entrega.

O dropshipping é uma opção interessante para empresas que estão começando ou que não possuem espaço de armazenamento.

Vamos exemplificar melhor. Uma distribuidora de produtos eletrônicos que vende produtos de diversos fornecedores pode usar o dropshipping para expandir seu portfólio de produtos sem aumentar seus custos.

Nesse modelo, a distribuidora não precisa manter estoque próprio.

Quando um cliente faz uma compra, a distribuidora solicita ao fornecedor do produto que envie a mercadoria diretamente para o consumidor final.

Dessa forma, consegue oferecer uma gama ampla de itens, sem se preocupar em tê-los em estoque.

Além disso, reduz custos, por não investir em espaço de armazenamento, mão de obra e movimentação de carga.

Banner - Tudo o que você precisa para gerenciar o estoque da sua distribuidora está no ERP WebMais

Quais As Principais Metodologias De Controle De Estoque?

Não basta apenas identificar os tipos de estoque, é preciso também aprender os métodos para controlá-lo com eficiência, conforme cada tipo de empresa e produto.

Cada metodologia de controle de estoque tem suas próprias vantagens e desvantagens.

Então, a escolha da mais apropriada depende de uma série de fatores, como o tipo de empresa, o tipo de produto, a demanda do mercado e os objetivos internos.

Para você entender melhor o assunto e saber escolher o mais adequado entre os tipos de estoque para sua necessidade, as principais metodologias que se destacam são:

PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai)

É o método mais simples e comum de controle de estoque. Dá prioridade de saída para os itens antigos.

É indicado para produtos perecíveis ou com data de validade, pois evita que os itens mais antigos estraguem ou percam valor.

UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai)

É o método oposto ao PEPS. Prioriza a saída das mercadorias compradas mais recentemente.

Usado para negócios que trabalham com itens de alto valor agregado e baixo giro, pois evita que os itens mais caros sejam vendidos por um preço menor.

Just in Time

Mantém o estoque no mínimo necessário para atender à demanda. É ideal para produção em larga escala, pois reduz os custos de armazenamento e transporte.

Custo Médio

Calcula o valor do estoque baseado no custo médio dos produtos adquiridos.

É indicada para itens de valor uniforme, pois evita que o valor do estoque seja influenciado por variações nos preços de compra.

Curva ABC

Classifica os produtos em ordem de importância, conforme a sua relevância para a companhia.

Na categoria A ficam os mais importantes e exigem controle mais rígido, enquanto na categoria C estão os menos relevantes.

É ideal para qualquer negócio que venda produtos ou serviços, independentemente do tamanho ou do setor.

Sistema Kanban

Usa cartões para comunicar a necessidade de reposição de estoque. É baseado no princípio de puxar (pull), ou seja, a reposição de estoque só ocorre quando há demanda.

Ele é uma opção interessante para empresas de todos os tamanhos e setores.

Giro de estoque

Identifica o desempenho de distribuição em determinado período e qual deve ser o fluxo das mercadorias.

Um giro de estoque alto indica que a empresa está vendendo seus produtos rapidamente, enquanto um giro baixo indica problemas de vendas.

Qual A Importância De Fazer Um Controle De Estoque Eficiente?

Qualquer negócio que lida com produtos físicos precisa entender os tipos de estoque e saber controlá-lo de forma eficiente para manter o bom fluxo de vendas.

É por meio disso que é possível garantir itens disponíveis aos clientes, evitando que cheguem e não encontrem o que desejam naquele momento. Assim, você não perde a venda para a concorrência.

Dessa forma, também garante o fluxo de caixa da empresa. E sabemos que é necessário estar estável para conseguir quitar suas dívidas, investir e gerar lucros.

Além disso, permite que todo o desenvolvimento das suas mercadorias seja feito sem a necessidade de pausas para esperar por novos insumos.

Outro ponto importante é que ajuda na prevenção de perdas por meio de roubos, fraudes e erros de contagem.

Ao monitorar regularmente seu inventário, você pode identificar divergências e corrigir antes que se tornem problemas maiores.

Indiretamente, isso ajuda na redução de custos associados à armazenagem, logística e gerenciamento. Sem mencionar que evita acúmulo excessivo de itens no armazém.

E claro, um controle dos tipos de estoque eficiente fornece informações importantes para a tomada de decisão estratégica da empresa.

Por exemplo, ele pode ajudar a determinar quais produtos devem ser priorizados para a compra, quais devem ser descontinuados e como melhorar a eficiência do processo de reposição.

Como Fazer Um Bom Controle De Estoque?

Saber qual é um dos tipos de estoque, analisá-lo e monitorá-lo são tarefas básicas. Para ir além, você precisa seguir alguns passos para equilibrar a gestão dos seus produtos armazenados.

Confira quais são eles!

Inventário

Realize uma contagem física de todo o estoque em sua loja ou armazém e registre a quantidade de cada item, incluindo danificados ou com defeitos.

Esse processo deve ser feito com constância conforme as saídas e entradas.

O inventário pode ser realizado manualmente ou por meio de um sistema de gestão de estoque (ERP).

Em resumo, o inventário manual é mais trabalhoso e demorado, já o automatizado é mais rápido, eficiente e preciso.

Automação

Um sistema de automação é essencial para o controle do seu inventário, independente dos tipos de estoque.

Ele permite salvar cada mercadoria armazenada e acompanhar a quantidade delas em tempo real.

Os pequenos e médios empreendedores costumam usar planilhas simples, mas o mais adequado é um software avançado para gerenciar com eficiência e evitar erros manuais.

Treinamento

São os colaboradores que lidam diretamente com a entrega e venda dos seus produtos.

Por isso, é importante treiná-los para fazer o controle certo na ferramenta escolhida para gerenciamento.

Junto a isso, é necessário um supervisor para garantir o alinhamento da equipe por meio de observações diárias e suporte caso seja necessário, não importa a escolha feita sobre os tipos de estoque.

Otimização

É importante analisar regularmente seus dados de estoque para controlar a situação em tempo real e otimizar o que for preciso.

Assim, você pode fazer a análise de vendas, previsões de demanda e relatórios.

O objetivo da otimização é garantir que o estoque esteja no nível ideal para atender à demanda dos clientes, sem excessos que possam gerar custos desnecessários.

Tecnologia

A tecnologia pode ser uma grande aliada por determinar o nível ideal de estoque, a compra e reposição de itens, o controle de qualidade e a logística de distribuição.

Ou seja, não importa qual dos tipos de estoque seja escolhido, essa é a solução certa para todas.

O controle de estoque pode ser feito por meio de um ERP, ou sistema de gestão empresarial, em português.

Ele integra todas as operações da empresa, incluindo o estoque.

Para o negócio, ajuda a melhorar a eficiência do controle de várias formas.

Isso porque integra os dados de diferentes departamentos, automatiza tarefas, centraliza informações e melhora a comunicação entre equipes.

O ERP da WebMais, por exemplo, conta com o Módulo Estoque. Ele traz mais visibilidade devido aos insights sobre a perfomance do estoque, redução de custos, precisão de dados e eficiência das atividades.

Isso porque o módulo permite aos gestores a terem acesso às entradas e saídas de mercadorias, controle de inventários, gestão de pedidos de compra, gestão de pedidos de vendas e até os custos gerais.

Então, com base nisso, é possível ter em mãos relatórios e análises que podem ajudar a tomar decisões mais informadas sobre o estoque.

Melhores Dicas Para Fazer Uma Boa Gestão De Estoque

Cada empresa precisa definir a melhor gestão conforme a sua cultura e forma de funcionamento. Mas, algumas ações fazem a diferença na hora de administrar os tipos de estoque, como:

  • Cadastre cada mercadoria com o código do produto, a descrição, a quantidade, o valor, a data de validade e o local de armazenamento;
  • Registre todas as entradas e saídas, mesmo as menores, para acompanhar a movimentação do estoque e a identificar possíveis erros ou desvios;
  • Não use ferramentas manuais, pois elas são propensas a erros e podem dificultar o controle dos tipos de estoque;
  • Acompanhe a rotatividade dos produtos, pois ela indica quanto tempo os produtos permanecem no estoque antes de serem vendidos. Assim, você encontra aqueles que estão com giro baixo e que podem ser descontinuados;
  • Mantenha a organização do estoque de forma lógica e que as mercadorias estejam identificadas de forma clara;
  • Integre o inventário com outros setores da empresa, como o de vendas, para ter uma base em dados confiáveis;
  • Cuidado com a falta e o excesso de itens. Encontre o equilíbrio ideal entre os tipos de estoque à disposição.
Gestão para todo tipo de estoque com o ERP WebMais
CONHEÇA O SISTEMA

Conclusão

Felizmente, agora você já sabe o que é e conhece os tipos de estoque de uma empresa. Dessa forma, pode optar pelo que faz mais sentido para o seu processo empresarial.

O controle rígido do seu inventário trará informações valiosas para a sua equipe, evitando problemas financeiros e gerenciais.

Por isso, não deixe de lado e otimize a sua gestão para ter resultados cada vez melhores!

Com o ERP Web Mais, você tem a chance de monitorar cada entrada e saída de mercadorias.

Nossa solução é ideal para você identificar e corrigir erros com o estoque rapidamente e melhorar a sua operação. Entre em contato e saiba como podemos ajudá-lo!

Deixe um comentário