Entenda de uma vez por todas o que é custo e o que são despesas de uma empresa

Veja Conceitos, Diferenças E Exemplos Práticos Entre Custo E Despesa

Imagem de Sanon Matias

Toda empresa, para funcionar e dar lucro, precisa arcar com custo e despesas. Isso porque eles são os gastos necessários para o negócio produzir, divulgar a sua marca e manter a sua estrutura funcionando.

Mas qual a diferença entre custo e despesa e por que é importante classificá-los? É sobre isso que vamos falar neste conteúdo, além de mostrar como o controle desses gastos pode influenciar o orçamento do seu negócio.

E na hora de identificar os custos da sua organização, conte com o ERP WebMais para acompanhar em tempo real todos os dados financeiros e operacionais, que são integrados em um único sistema. Dessa forma, você controla melhor e sabe onde otimizar.

Contribua para a eficiência financeira e a sua lucratividade agora mesmo, peça uma demonstração gratuita da nossa ferramenta para você testar!

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que São Custos?

Os custos de uma empresa são todos os gastos relativos à produção ou à atividade-fim de uma empresa.  Ou seja, representam os gastos necessários para a fabricação de produtos ou a entrega de serviços e são um componente fundamental na contabilidade e na gestão financeira de uma empresa.

Eles afetam diretamente a lucratividade de um estabelecimento. Gerenciá-los ajuda a controlar despesas, definir preços competitivos, tomar decisões estratégicas informadas e avaliar a rentabilidade de produtos ou projetos.

Exemplos De Custos

Para entender de uma vez por todas a diferença entre custo e despesa, vamos exemplificar. Os custos envolvem todos os gastos com materiais e serviços que tornam possível a fabricação de produtos ou execução de serviços oferecidos aos clientes.

Alguns exemplos de custos são:

  • compra de matéria-prima;
  • mão-de-obra;
  • embalagens;
  • energia elétrica;
  • depreciação de máquinas e equipamentos;
  • manutenção;
  • materiais de limpeza para a fábrica;
  • salários dos funcionários;
  • comissões de vendedores;
  • impostos;
  • seguros.

Quais São As Definições Sobre Custo?

Existem algumas definições sobre os custos que facilitam o entendimento desse conceito:

  • custo total: é a soma de todos os custos que uma empresa tem, tanto fixos como variáveis. Por exemplo: a soma dos custos das peças (custo direto), salários dos operários nas linhas de montagem (mão de obra direta), aluguel das instalações de produção (custo fixo) e gastos com pesquisa e desenvolvimento (custo indireto);
  • custos diretos: são aqueles mensuráveis e atrelados ao produto, como a compra de matéria-prima. Por exemplo: compra de componentes para fabricação;
  • custos indiretos: são aqueles mais difíceis de mensurar no valor final do produto, como os gastos com marketing, por exemplo;
  • custos primários: são os gastos essenciais e palpáveis com recursos necessários para a produção, com embalagens e mão-de-obra direta;
  • custos de transformação: é o custo do esforço para transformar a matéria-prima no produto final. Por exemplo, uma metalúrgica que produz vigas de aço tem custos de transformação que incluem o da matéria-prima (aço), o trabalho dos operários nas máquinas de conformação, de energia para operar os equipamentos e de acabamento das vigas.

Quais São Os 4 Tipos De Custos?

Para entender a diferença entre custo e despesa, é importante conhecer os tipos de custos primeiramente e como eles são na prática em uma empresa.

Essa distinção entre eles ajuda a entender como os custos afetam os resultados financeiros e a tomar decisões estratégicas relacionadas à precificação, controle de despesas e planejamento de produção.

Vamos conhecer os quatro tipos!

Diretos

Ao mencionar os custos diretos, estamos falando dos que podem ser diretamente atribuídos a um produto, projeto ou departamento específico. Eles variam de acordo com a quantidade produzida ou o nível de atividade.

Lista com os 4 tipos de custo:

Diretos: custos que vem diretamente de uma fonte específica, como preço de matéria-prima
Indiretos: são mais genéricos, incluindo despesas gerais
Fixos: sempre constantes, como os salários
Variáveis: relacionados ao nível de produção ou atividade

Se uma indústria de eletrônicos está produzindo smartphones, as peças usadas diretamente na fabricação são um custo direto. Afinal, a quantidade de peças utilizadas está diretamente ligada à quantidade de aparelhos produzidos.

Indiretos

Já os custos indiretos, não podem ser facilmente atribuídos a um produto ou atividade específica de forma direta. Por isso, eles geralmente incluem despesas gerais.

O custo do aluguel do espaço onde a indústria está localizada não pode ser diretamente associado a um único produto, pois o espaço é usado para várias atividades, como fabricação, armazenamento e atendimento aos clientes.

Fixos

Quando falamos em custos fixos, são aqueles que permanecem constantes em um determinado intervalo de produção ou nível de atividade. Mesmo se a produção aumentar ou diminuir, esses custos não mudam.

O salário do gerente é um custo fixo porque ele é pago mensalmente, independentemente do número de celulares produzidos ou vendidos. Esse custo permanece constante em um determinado período.

Vamos detalhar ainda mais esse conceito a seguir!

Variáveis

Em contrapartida, os custos variáveis estão diretamente relacionados ao nível de produção ou atividade de uma empresa. Eles aumentam ou diminuem à medida que a produção se altera da mesma forma.

Então, se a indústria de eletrônicos paga uma comissão aos vendedores com base nas vendas realizadas, esse é um exemplo de custo variável. À medida que as vendas aumentam, os custos com comissões também.

Se ainda não entendeu, não se preocupe. Vamos falar mais um pouco sobre esses conceitos mais abaixo no texto!

Como São Feitas As Classificações Dos Custos E Despesas?

Tanto os custos como as despesas de uma empresa podem ser fixos ou variáveis. Que tal entender as particularidades de cada um?

Custos Ou Despesas Fixas

São os gastos que não variam de acordo com o volume produzido ou comercializado. Ou seja, os valores pagos serão os mesmos todos os meses, independentemente dos resultados da empresa.

Alguns exemplos são os salários dos colaboradores, o aluguel, a conta de água, eletricidade e gás, seguro do local, depreciação de ativos, despesas de manutenção periódica e assinaturas de serviços, entre outras coisas.

Uma característica fundamental dos custos fixos é a previsibilidade. Os gestores podem contar com esses gastos mensalmente, independentemente das flutuações nas vendas ou na produção.

Graças a isso, podem ser incluídos com certeza no planejamento financeiro, o que determina um ponto de equilíbrio, ou seja, o nível de vendas necessário para cobrir todos os custos fixos e começar a gerar lucro.

Como não mudam com as vendas, eles têm um impacto direto na margem de lucro. Quando as vendas aumentam, a margem de lucro tende a melhorar, pois os custos fixos são distribuídos por um maior volume de unidades vendidas.

Custos Ou Despesas Variáveis

As despesas variáveis, portanto, são aquelas que dependem do volume produzido ou vendido.

A compra de matéria-prima é um exemplo de custo variável – afinal, o produto que não for vendido não precisará ter novas unidades fabricadas e, por isso, o volume de compra pode diminuir ou até se tornar inexistente por algum período.

Como classificar custos ou despesas variáveis?

Já os impostos são um exemplo de despesas variáveis – quanto mais receita a empresa tem, mais impostos ela paga. Outros exemplos são campanhas de marketing, comissão de vendedores e gastos com transporte.

Os custos ou despesas variáveis podem ser controlados diretamente por meio de decisões operacionais. Por exemplo, uma empresa pode reduzir gastos com campanhas de marketing ou comissões de vendedores em períodos de menor demanda.

Esse tipo de custo afeta diretamente a margem de lucro conforme as vendas aumentam, eles tendem a aumentarem, reduzindo a margem de lucro líquido.

Qual A Importância De Classificar Os Custos E Despesas?

Conhecer e classificar os custos e despesas de um negócio é importante para se ter uma visão ampla sobre a saúde financeira da empresa. Assim, é possível gerenciar as finanças de maneira mais eficaz, pois se sabe para onde vai cada recurso.

A classificação dos custos e despesas também torna possível a tomada de decisões orientada por dados, que serão muito mais acertadas do que aquelas tomadas com base em opiniões e impressões sobre a situação financeira. 

Com esse conhecimento, um gestor consegue entender mais claramente de onde é possível cortar gastos e quais são os setores que podem receber mais investimentos, além de identificar os momentos ideais para fazer novas apostas.

Qual A Diferença Entre Custos E Despesas?

A principal diferença entre custos e despesas é que os custos estão relacionados à produção, enquanto as despesas estão relacionadas à administração do negócio.

Ou seja, as despesas correspondem aos gastos com a área comercial, marketing, finanças, entre outras coisas que não sejam a produção ou realização da atividade-fim.

Alguns exemplos de despesas são as contas de internet, o aluguel do imóvel, gastos com materiais de escritório, impostos, seguros, publicidade, brindes, reformas, licenças, etc.

De modo geral, podemos dizer que as despesas são necessárias para manter o negócio funcionando, mas não estão diretamente ligadas à geração de novos itens que serão comercializados.

Na prática, você pode entender a diferença entre custo e despesa com um ERP.

Comparativo com diferenças entre custos e despesas

Esse sistema é importante porque automatiza o registro financeiro e operacional, facilitando identificar e categorizar corretamente os gastos como custos relacionados à produção ou despesas administrativas, o que é essencial para a gestão financeira precisa e a conformidade fiscal.

E A Diferença Entre Custos E Perdas?

A principal diferença entre custos e perdas reside na natureza das despesas e em como elas afetam a demonstração financeira de uma empresa.

Afinal, os custos estão diretamente à produção de bens ou à prestação de serviços e são considerados investimentos na operação do negócio, ligados ao processo de geração de receita.

Já as perdas, por outro lado, não estão diretamente ligadas à produção de bens ou serviços. Elas são geralmente eventos imprevistos, não relacionados às atividades operacionais normais do negócio.

Podemos afirmar que as perdas afetam diretamente o lucro líquido. Alguns exemplos incluem perdas por incêndio, roubo, vendas de ativos a preços abaixo do valor de custo, multas e penalidades.

Nesse sentido, os custos podem ser controlados e gerenciados por meio de decisões operacionais e estratégicas, como a otimização da produção. As perdas, muitas vezes, estão fora do controle direto.

Como Analisar Os Custos E Despesas De Uma Empresa?

A análise para entender a diferença entre custo e despesa da empresa deve ser um hábito e acontecer com frequência.

Isso permite que a gestão encontre mais rapidamente oportunidades de melhorar a eficiência da distribuição de recursos e identifique problemas precocemente, antes que eles se tornem prejuízos maiores.

Além de observar os registros sobre as saídas de recursos da empresa, o gestor deve avaliar esses dados para entender quais gastos estão trazendo mais retorno, quais precisam ser cortados e quais áreas precisam receber maiores investimentos.

Para isso, é importante fazer uma comparação entre as saídas e as entradas de receitas, além de comparar ainda os resultados atuais com aqueles obtidos em períodos anteriores – que podem ser os meses anteriores ou o mesmo mês de anos passados.

Também é preciso definir indicadores para serem acompanhados nessas análises. Alguns indicadores muito utilizados nesses casos são a liquidez, margem de lucro, margem líquida e índice de endividamento.

Qual A Influência Dos Custos E Das Despesas No Orçamento?

Conhecendo e acompanhando os gastos da empresa, o gestor consegue fazer algumas projeções, que podem ser relacionadas à lucratividade e também aos próprios custos e despesas do negócio.

Assim, é possível fazer a divisão adequada dos recursos, encaminhando o valor ideal para cada setor, e entender quais custos podem ser cortados caso haja essa necessidade, de modo que a lucratividade da empresa não seja alterada – ou sofra a menor alteração possível.

BANNER Controle o orçamento da sua empresa com poucos cliques! Conheça o ERP WebMais

Conclusão

É fundamental que o empresário conheça profundamente a diferença entre custo e despesa na sua empresa.

Dessa forma, é possível tomar decisões com base em dados, entender o que pode ser cortado e saber qual o momento ideal para novos investimentos. E tudo isso é fundamental para manter a saúde financeira do negócio!

Contar com a tecnologia é uma excelente opção para o empresário que quer ter mais controle e informações sobre as finanças da organização.

Hoje em dia, as ferramentas disponíveis no mercado facilitam o registro de informações e entregam relatórios completos, diminuindo a incidência de erros e permitindo análises mais completas.

Uma delas é o ERP WebMais, que auxilia a saber os custos do seu negócio, porque integra todas as informações financeiras e operacionais, facilitando o acompanhamento e a análise de custos em tempo real. Experimente o sistema por meio de uma demonstração gratuita agora mesmo!

Deixe um comentário