Indicadores de estoque para acompanhar

Confira Os 15 Principais Indicadores De Estoque

Imagem de Sanon Matias

Você já imaginou como seria o cotidiano das empresas se os gestores não tivessem acesso aos indicadores de estoque para tomar decisões estratégicas?

Avaliar a performance da companhia ao longo do tempo é a função dos KPIs. Mas, a verdade é que eles não servem apenas para isso.

Quando usados em um setor específico como o estoque, por exemplo, auxiliam o profissional a reduzir custos, mitigar desperdícios e até evitar estoque parado.

Você sabia que um software de controle de estoque pode ajudar? Veja como o ERP da WebMais, por exemplo, é uma excelente opção para controlar tudo com rapidez, em tempo real e sem erros. Mas ele é apenas uma ferramenta facilitadora desse processo.

Sua empresa faz uso de métricas para melhorar a gestão de estoque? Se a resposta for não, sem pânico! O post a seguir é para você aprender a analisar os indicadores de estoque do seu negócio em poucos passos.

Esperamos que goste. Boa leitura!

BANNER GERAL Estoque, compras, financeiro e muito mais com o ERP WebMais

O Que São Indicadores De Estoque E Qual Sua Importância Na Gestão?

Indicadores de estoque são métricas quantitativas ou qualitativas que expressam o desempenho de armazenagem da empresa.

Podem ser usados como ferramentas de gestão para controlar as mercadorias. Além disso, servem como fonte de informação para monitoramento dos resultados.

Os indicadores são importantes porque ajudam o gestor a ter pleno conhecimento sobre os negócios.

Sem o auxílio dos indicadores de estoque, o profissional não tem como saber o que está certo ou errado no setor. Além disso, também não sabe quais ações precisam ser implementadas para melhorar a gestão, reduzir custos e mitigar desperdícios.

Quais As Vantagens De Acompanhar Indicadores De Estoque?

Os indicadores de estoque prometem entender melhor os pontos fortes e fracos da organização, o que ajuda a otimizar os processos em busca de melhorias constantes.

Na prática, podemos notar as vantagens em diferentes setores, como os citados abaixo.

Atendimento Mais Eficaz

Com um controle claro dos itens disponíveis, os vendedores transmitem segurança para os clientes, oferecem compras específicas e estratégias de vendas mais acertadas.

Além disso, é possível oferecer alternativas e encomendar produtos de fornecedores. Assim, com informações confiáveis sobre os produtos e um processo de compra e recebimento eficiente, as chances de fidelização aumentam consideravelmente.

Controle De Custos

Ao manter registros claros sobre a entrada e saída de mercadorias, é possível avaliar a viabilidade dos produtos e determinar quais deles realmente fazem sentido manter em estoque.

De certa forma, contribui para o controle de custos, considerando os gastos com armazenamento, operação e entrega, além de auxiliar na escolha de fornecedores confiáveis.

Otimização Da Entrega

A demanda e o armazenamento na indústria e distribuidora está cada vez maior.

Por isso, dados centralizados e atualizados sobre as compras ajudam a usar os indicadores de estoque. Também permitem rever o planejamento logístico para oferecer oportunidades mais atrativas referente a estratégias de frete e prazo.

Principais indicadores para gestão de estoque

Quando faz o uso dos indicadores de estoque, você consegue melhorar a gestão e com isso passa a ter mais controle sobre o armazém. Quanto mais domínio tiver, mais fácil fica para você administrar os recursos com base nas necessidades da sua empresa.

Abaixo, veja quais são os principais indicadores de estoque e como eles podem ajudar a melhorar a sua gestão:

Giro de Estoque

O Giro de Estoque é um dos principais indicadores para a sua gestão. Serve para mensurar a rotatividade dos seus produtos em um determinado período, bem como avaliar a qualidade dos itens armazenados.

Para chegar até esse indicador, usamos a seguinte fórmula:

GIRO DE ESTOQUE = TOTAL DE VENDAS / VOLUME MÉDIO DE ESTOQUE

Imagine que a sua empresa vendeu 1.000 produtos em 1 ano e tem o estoque médio de 100 itens. Então, isso quer dizer que o seu giro de estoque é 10.

Ou seja, foi preciso reabastecer as prateleiras 10 vezes nesse período. Isso porque as mercadorias foram vendidas muito rápido e a demanda do produto é alta.

#Dica: A sua empresa pode usar esse indicador para criar estratégias de vendas mais assertivas e com isso eliminar o estoque parado.

Banner controle de rotatividade de produtos facilitado

Ruptura de Estoque

Ruptura de Estoque é um indicador bastante eficaz para o controle das mercadorias. Com base nessa métrica, você pode elaborar um planejamento de compra para que não faltem produtos nas prateleiras e o andamento das vendas não seja prejudicado.

Para chegar até esse indicador, usamos a seguinte fórmula:

RUPTURA DE ESTOQUE = (ITENS EM FALTA / TOTAL DE PRODUTOS DA LOJA) x 100

Exemplo: se você possui 100 produtos no portfólio, mas 20 deles estão em falta, o ponto de ruptura do seu estoque será de 20%.

Esse indicador está relacionado à falta de itens nas prateleiras. O ideal é que esse número seja o mais baixo possível para assegurar que a sua empresa sempre dispõe dos produtos que o cliente quer comprar.

Taxa de Retorno

Taxa de Retorno é um indicador de estoque que mensura o volume de devolução de produtos.

Isto é, o percentual de itens que voltaram ao seu estoque depois da finalização da compra. Como você não quer ver os seus produtos retornando, o ideal é que essa métrica esteja mais próximo de zero.

Para chegar até esse indicador, usamos a seguinte fórmula:

TAXA DE RETORNO = (Nº DE PRODUTOS DEVOLVIDOS / Nº DE VENDAS) x 100

Por exemplo, se a sua empresa vendeu 50 produtos e 15 deles foram devolvidos, a taxa de retorno do seu estoque será de 30%. Um índice muito grande, mas que pode ser reduzido se você identificar o problema e criar estratégias para solucioná-lo.

Perdas

O indicador perdas é uma das métricas que mais preocupam os gestores. Isso porque elas representam altos custos, comprometendo o faturamento da empresa.

Essa medida não possui necessariamente uma fórmula, mas engloba uma série de informações qualitativas. Número de produtos armazenados incorretamente, mercadorias em excesso nas prateleiras e itens danificados durante a movimentação são alguns exemplos.

Para reduzir as perdas e evitar prejuízos, é necessário que você avalie os relatórios de estoque para identificar os erros, a fim de corrigi-los.

Tempo de Reposição

Tempo de Reposição é uma métrica que pode impactar diretamente na experiência de compra do seu cliente. Isso porque mensura o tempo que um determinado produto levou para voltar ao estoque e estar pronto para comercialização.

Para descobrir qual é o tempo de reposição do seu estoque, você precisa fazer o seguinte cálculo:

TEMPO DE EMISSÃO + TEMPO DE SEPARAÇÃO DO PEDIDO + TEMPO DE ENTREGA

Vamos imaginar que sua empresa fez um pedido que levou 3 dias para ser emitido. Além disso, ele é separado em 4 dias e entregue em 5. Então, esses dados indicam que o seu tempo de reposição é 12 dias.

Se nesse período o cliente fizer a compra desse produto, pode ser que ele fique insatisfeito em esperar. Dessa forma, a sua empresa acaba perdendo a venda por falta de estoque.

Reposição de estoque ajuda a não perder vendas

On Shelf Availability – Osa

Esse é um dos indicadores de estoque que mostra a disponibilidade de um item segundo o histórico e a projeção de vendas individual. Ou seja, é a disposição para venda nas prateleiras da empresa.

Esse indicador encontra os porquês da ausência do produto e quanto custa para o financeiro. Com isso, as estratégias para impedir as faltas são melhor definidas, conferindo agilidade no processo de venda.

Cobertura De Estoque

A cobertura de estoque indica por quanto tempo o estoque existente pode atender a demanda de vendas. Com base no resultado, é possível fazer o planejamento de reposição e de possíveis investimentos.

Para calcular a cobertura de estoque, é necessário analisar a quantidade de armazenamento existente em relação à previsão de vendas para um determinado período.

O uso dessa métrica ajuda a manter um nível adequado de armazenagem, evitando a falta ou excesso de produtos.

Ponto De Pedido

Esse indicador de estoque recomenda quando fazer um novo pedido ao fornecedor para evitar a falta de produtos no estoque. O cálculo é feito considerando o estoque mínimo, o consumo médio e o tempo de reabastecimento:

PONTO DE PEDIDO = ESTOQUE MÍNIMO + (CONSUMO MÉDIO x TEMPO DE REABASTECIMENTO)

O resultado pode mudar dependendo da disponibilidade do produto e do tempo de reabastecimento. Por isso, é importante fazer um planejamento de estoque.

Para facilitar, com o ERP da WebMais você inclui os dados sobre o estoque mínimo. Então, sempre que atingir esse limite, é emitido um alerta para fazer a gestão de compras.

Supply Chain

O indicador de Cadeia de Suprimentos ou Supply Chain mede o tempo total da realização da logística, desde a produção até a entrega ao consumidor final. É importante para trabalhar com eficiência nesse processo, visando a agilidade e redução de custos.

Capacidade De Estoque

Visa identificar qual é a capacidade máxima do espaço físico disponível para estocar produtos. Para obter essa taxa, é necessário fazer a contagem de prateleiras e locais de armazenamento utilizados e disponíveis.

O objetivo é manter o espaço de armazenamento aproveitado em torno de 80% a 90%, deixando espaços livres para permitir a movimentação de caixas. Afinal, um armazém mal utilizado gera gastos desnecessários.

Satisfação Do Cliente

A satisfação do cliente está diretamente relacionada ao desempenho da empresa em relação aos indicadores de estoque. Isso porque enviar os pedidos corretos e no prazo estipulado fideliza o consumidor.

Um cliente satisfeito não apenas volta a fazer negócios, mas também pode se tornar um divulgador espontâneo da marca.

Quebra De Vendas

Essa métrica analisa a porcentagem de vendas não efetuadas por falta de produtos, tanto em relação às vendas totais quanto em relação aos valores não vendidos.

É útil para identificar os valores perdidos em razão de itens em falta. Além disso, também serve como um alerta para a insatisfação do cliente, que pode ser causada pelas prateleiras vazias.

Análise de vendas permite mais controle sobre estoque

Custos De Retenção

Os custos de retenção se referem aos gastos associados ao armazenamento e manutenção do estoque não vendido, incluindo custos com mão de obra e materiais.

Ainda, considera o custo de produtos danificados, inutilizados ou que estragaram enquanto estavam em estoque. Saber disso permite avaliar se o seu espaço de armazenamento é utilizado de forma eficiente.

Índice De Qualidade Do Fornecedor

O desempenho dos fornecedores também deve ser mensurado entre os indicadores de estoque. É preciso verificar se eles entregam mercadorias de qualidade e no prazo estabelecido.

A partir dessa avaliação, o gestor sabe quais parceiros apresentam problemas recorrentes com a qualidade ou na entrega. Dessa forma, pode corrigi-los com medidas rápidas e assertivas.

Com Que Frequência Os Kpis De Estoque Devem Ser Revisados?

É importante revisar regularmente os KPIs de estoque para identificar insights relevantes e fazer mudanças necessárias na estratégia geral da empresa.

Muitos gestores revisam trimestralmente os indicadores de estoque e trabalham para implementar as mudanças necessárias até alcançar melhorias. Sempre tente novos métodos e repita o processo para obter resultados.

E nunca se esqueça de comunicar o valor dos KPIs às equipes para ajudá-lo a melhorá-los com o tempo.

Quais Os Principais Tipos De Gestão De Estoque?

Existem diferentes métodos de gestão de armazém utilizados pelas grandes empresas que impactam diretamente nos resultados dos indicadores de estoque, como:

  • UEPS: considera o custo de aquisição do produto vendido. É ideal para controlar estoques e preços de venda;
  • PEPS: administra materiais pela quantidade certa de unidades a serem mantidas no estoque. É adequado para evitar que produtos perecíveis vençam e sejam perdidos;
  • Just in Time: mantém apenas o estoque necessário para atender à demanda dos produtos. Isso influencia positivamente na qualidade do produto, no controle de custos da empresa e na eficiência das atividades de produção.

Como A Tecnologia Pode Auxiliar Na Gestão Dos Indicadores De Estoques

Nessa parte do texto você deve estar pensando que fazer a gestão dos indicadores de estoque pode ser trabalhoso demais. Afinal, envolve muitos cálculos e informações, e isso pode exigir bastante tempo do seu dia.

Contudo, hoje existem sistemas capazes de auxiliar no controle dos indicadores de estoque, tornando a gestão do seu depósito muito mais ágil. Ferramentas como um Sistema ERP.

O ERP, também conhecido como Enterprise Resource Planning, é uma tecnologia que integra as atividades de diferentes setores da empresa, e simplifica a gestão.

Não faz ideia de como essa tecnologia pode ajudar na gestão dos indicadores de estoque? Vamos explicar!

Uma tecnologia de ponta como o ERP Webmais, por exemplo, possui uma série de relatórios e indicadores de estoque para tornar a gestão mais prática.

A ferramenta é capaz de realizar o cálculo de rotatividade de estoque, tempo de reposição e necessidade de compra, entre outros indicadores importantes.

Isso significa que, em apenas poucos cliques, você pode mensurar os principais indicadores e analisar seus resultados quase que instantaneamente.

Os benefícios disso são: tomada de decisão mais assertiva, gestão de estoque eficaz, acesso a dados atualizados e confiáveis e maior segurança sobre as informações.

Banner indicadores eficientes para gestão de estoque

Conclusão

Saber quais indicadores de estoque podem ser mais interessantes para o seu negócio não é difícil. Além disso, você pode seguir nossas dicas para otimizar o seu armazém em busca de melhorias.

Facilite o trabalho de mensuração com um software moderno e personalizado às suas necessidades. Agende uma demonstração gratuita e conheça o ERP da WebMais, que pode ajudar no controle do seu depósito com rapidez.

Deixe um comentário